Região boliviana produtora de gás aprova autonomia

segunda-feira, 23 de junho de 2008 09:52 BRT
 

Por Carlos Alberto Quiroga

TARIJA, Bolívia (Reuters) - O principal Departamento produtor de gás natural da Bolívia somou-se no domingo ao grupo de regiões controladas pela direita que aprovou uma maior autonomia em relação ao governo central, sete semanas antes de ser realizado um referendo confirmatório sobre os mandatos do presidente do país, Evo Morales, e de governadores distritais.

Em uma votação celebrada pelos oposicionistas e rechaçada antecipadamente pelo presidente boliviano, os eleitores do Departamento de Tarija, sul do país, aprovaram o novo status com 80,3 por cento dos votos válidos, disse a rede privada de televisão ATB.

Os votos contrários à medida somaram 19,7 por cento do total e as abstenções, a aposta do governo, ficaram em 34,8 por cento dos 173 mil eleitores da região aptos a comparecer às urnas, acrescentou a reportagem da ATB, baseada em uma aferição prévia feita com base em uma amostra dos votos totais.

Outro canal de TV privado, a Unitel, disse, com base em resultados de boca-de-urna, que o "sim" havia obtido 79 por cento dos votos contra 21 por cento para o "não". Nesse caso, não foi divulgado o número de eleitores que compareceu às urnas.

A Justiça eleitoral de Tarija realizou a votação apesar de um veto das autoridades eleitorais nacionais. Dezenas de cidadãos começaram a festejar nas ruas da capital do Estado (que também se chama Tarija) depois da divulgação dos resultados pela televisão.

Antes desse Departamento, haviam aprovado uma maior autonomia do governo central a rica região de Santa Cruz, no leste, e os Departamentos amazônicos Beni e Pando, situados em terras baixas bolivianas onde a oposição controla a economia e a política, diferentemente do que ocorre nos cinco Departamentos andinos, base eleitoral de Morales.

"Nós, os bolivianos, precisamos nos dar uma chance, e isso significa uma reforma de fundo que nos concederá autonomia, uma mudança verdadeira para unir mais a nossa Bolívia", disse, em tom conciliador, o prefeito de Tarija e ex-deputado, Mario Cossío, antes de aderir aos festejos.

Apesar do bloqueio de estradas por agricultores pró-governo, o quarto e último referendo de autonomia regional ocorreu sem maiores percalços e apenas houve relatos sobre alguns conflitos entre grupos rivais, além da queima de uma dúzia de cabines de votação.

Localizado na fronteira com a Argentina e o Paraguai, Tarija é o menor Departamento da Bolívia, com um território de menos de 4 por cento do total nacional e com uma população de apenas 500 mil habitantes.

No entanto, a região abriga mais de 80 por cento das reservas de gás natural do país, importante combustível fornecido aos argentinos e brasileiros e que representa a maior fonte de renda da Bolívia.