Destruição da Amazônia volta a subir, diz governo

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008 20:31 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - O ritmo de destruição da Amazônia voltou a crescer nos últimos cinco meses de 2007, disse o governo brasileiro na quarta-feira, poucos meses depois de comemorar o progresso na preservação da mata.

O desmatamento subiu de 234 quilômetros quadrados em agosto para 948 quilômetros quadrados em dezembro. Segundo o governo, a cifra é quatro vezes superior à do mesmo período de 2004. Não foram fornecidos os dados relativos a 2005 e 2006.

"Nunca antes detectamos uma taxa de desmatamento tão alta nesta época do ano", disse Gilberto Câmara, diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que fornece imagens de satélite da área, em entrevista coletiva em Brasília.

Entre agosto e dezembro foram desmatados 3.235 quilômetros quadrados de mata, e funcionários do Ministério do Meio Ambiente dizem que a cifra preliminar ainda pode dobrar, conforme as imagens de alta resolução sejam analisadas.

João Paulo Capobianco, secretário-executivo do ministério, disse que os dados são "extremamente preocupantes."

Há poucos meses, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva elogiou a redução do desmatamento em 50 por cento entre julho de 2005 e julho de 2007, resultado atribuído à melhora na fiscalização da posse de terras e no combate a madeireiros clandestinos.

Ambientalistas já vinham alertando que o recente aumento no preço de produtos agrícolas levaria a um aumento da devastação, devido à expansão da fronteira agrícola na Amazônia.

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, disse que o governo decidirá na quinta-feira novas medidas para preservar a Amazônia, cuja destruição -- uma área equivalente à França desde 1970 -- representa uma importante fonte de gases do efeito estufa.

(Reportagem de Ray Colitt)