5 de Dezembro de 2007 / às 18:08 / em 10 anos

Carros-bomba matam 23 no Iraque, mas Gates mostra otimismo

<p>O Secret&aacute;rio de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, sorri enquanto conversa com membros do Departamento de Defesa em Camp Lemonier, em Djibouti. Carros-bomba mataram 23 pessoas em Bagd&aacute; e em outras tr&ecirc;s cidades iraquianas na quarta-feira, mas mesmo assim Gates, afirmou que a conquista de um Iraque est&aacute;vel &eacute; poss&iacute;vel. Photo by Pool</p>

Por Kristin Roberts

BAGDÁ (Reuters) - Carros-bomba mataram 23 pessoas em Bagdá e em outras três cidades iraquianas na quarta-feira, mas mesmo assim o secretário da Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, afirmou que a conquista de um Iraque estável é possível.

Gates está no país para uma visita surpresa.

O carro-bomba que explodiu perto de uma mesquita xiita no centro de Bagdá matou 15 pessoas e deixou 33 feridos. Foi o pior ataque a bomba na capital desde setembro.

O local do ataque, no bairro Karrada, de maioria xiita, fica do outro lado do rio Tigre, onde Gates reunia-se com autoridades iraquianas dentro da chamada “Zona Verde”.

Um grupo ligado à Al Qaeda havia advertido esta semana para uma nova campanha de ataques com carros-bomba.

Apesar do ataque de quarta-feira, o número em geral desse tipo de ação no país caiu a seu nível mais baixo em quase dois anos.

<p>O secret&aacute;rio de defesa dos EUA, Robert Gates, fala &agrave; imprensa, em Bagd&aacute;. Carros-bomba mataram 23 pessoas em Bagd&aacute; e em outras tr&ecirc;s cidades iraquianas na quarta-feira, mas mesmo assim o secret&aacute;rio da Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, afirmou que a conquista de um Iraque est&aacute;vel &eacute; poss&iacute;vel. Photo by Pool</p>

“Mais que nunca, acredito que a meta de obter um Iraque seguro, estável e democrático está a nosso alcance”, disse Gates numa entrevista coletiva menos de uma hora depois da explosão.

“Temos de ser pacientes. Também precisamos ser absolutamente determinados em nosso desejo de enxergar os sinais nascentes de esperança, para que todos os iraquianos possam gozar de paz e prosperidade.”

Gates pressionou o governo liderado pelos xiitas a integrar as patrulhas locais sunitas ao Exército e à polícia oficial. Os EUA atribuem parte da redução da violência à ação dessas patrulhas, que contam com 60 mil pessoas.

“Iraquianos que escolheram combater a Al Qaeda precisam ser integrados às forças de segurança iraquianas ou receber outras ofertas de emprego”, disse ele.

Apesar de ter anunciado na quarta-feira que vai integrar 45 mil desses patrulheiros até meados de 2008, o governo iraquiano vinha passando a impressão de frieza em relação às patrulhas, talvez temendo que elas pudessem se transformar em milícias fora de controle.

Gates visitou primeiro Mosul, ao norte de Bagdá, região considerada uma das mais violentas do Iraque. Horas antes da chegada dele à cidade, um carro-bomba matou um civil.

Os outros carros-bomba explodiram em Baquba e Kirkuk, também no norte do Bagdá, matando pelo menos mais sete pessoas.

As Forças Armadas dos EUA anunciaram a morte de três soldados na província de Salahuddin, onde os confrontos vêm aumentando.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below