EUA abrem investigação criminal da destruição de vídeos pela CIA

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008 19:25 BRST
 

Por Randall Mikkelsen

WASHINGTON (Reuters) - O Departamento de Justiça dos Estados Unidos afirmou na quarta-feira ter lançado uma investigação criminal sobre a destruição, pela CIA, de fitas de vídeo mostrando o duro interrogatório de suspeitos de terrorismo.

"Há base para iniciar uma investigação criminal deste caso. Tomei medidas para iniciar essa investigação", disse o secretário de Justiça, Michael Mukasey, em um comunicado divulgado pelo departamento.

No mês passado, a CIA informou ter destruído em 2005 centenas de horas de fitas de vídeo de interrogatórios de dois suspeitos de pertencer à rede Al-Qaeda. A revelação provocou protestos de democratas, ativistas de defesa dos direitos humanos e alguns peritos em legislação.

Os interrogatórios, realizados em 2002, teriam incluído um tipo de simulação de afogamento, condenado internacionalmente como tortura.

O presidente George W. Bush tem dito que os EUA não torturam, mas não quis ser mais específico sobre métodos de interrogatórios.

O Departamento de Justiça e o inspetor-geral da CIA lançaram no mês passado um inquérito inicial sobre as fitas. O Congresso também está investigando sua destruição.

A CIA disse que iria "cooperar integralmente com esta investigação, como fez em outras sobre este assunto." Mas o inspetor-geral da agência, John Helgerson, afirmou que iria ficar fora da investigação abrangente.

Helgerson disse que seu escritório examinou as fitas "alguns anos atrás" como parte de uma revisão dos interrogatórios da agência e que ele ajudou a preparar um relatório sobre o caso, por isso não seria adequado envolver-se na investigação.

Mukasey informou ter pedido a um promotor federal de Connecticut, John Durham, que lidere a investigação.