Geórgia pede cessar-fogo em embates na Ossétia do Sul

sábado, 9 de agosto de 2008 10:19 BRT
 

Por Matt Robinson

GORI, Geórgia (Reuters) - A Géorgia propôs um cessar-fogo no sábado após uma ampliação da ofensiva russa para forçar o recuo das tropas georgianas que tentam tomar o controle da região separatista de Ossétia do Sul.

O presidente norte-americano, George W. Bush, disse que ataques russos na Géorgia fora da área de Ossétia do Sul marcam uma "perigosa escalada" da crise e pediu a Moscou para interromper os bombardeios imediatamente.

A Rússia disse ter tomado o controle da capital rebelde, Tskhinvali, mas a Géorgia nega que isso tenha ocorrido no segundo dia de confrontos que ameaçam gaseodutos e oleodutos de grande importância para nações ocidentais.

Autoridades russas disseram que o número de mortos chega a 1.500 e que 30.000 refugiados da Ossétia do Sul chegaram à Rússia nas últimas 36 horas. A Rússia disse que dois de seus aviões de guerra foram derrubados e 12 soldados de suas tropas foram mortos.

"Eu peço um cessar-fogo imediato", disse o presidente da Geórgia, Mikheil Saakashvili, em Tbilisi. "A Rússia lançou uma invasão militar em larga escala na Geórgia."

A resposta militar russa intensificou dramaticamente as tensões entre a Rússia e a liderança georgiana pró-ocidental, o que levou a troca de farpas na ONU reminescentes da Guerra Fria.

Abkhazia, outra região pró-Rússia na Geórgia, disse que suas forças haviam dado início a uma operação para expulsar as forças georgianas. Segundo relato de um porta-voz da Geórgia, aviões russos fizeram ataques a bomba, mas os separatistas de Abkhazia assumiram responsabilidade pelos ataques.

Bush, o principal aliado de Saakashvili no mundo ocidental, disse que a integridade territorial da Geórgia deve ser preservada.   Continuação...

 
<p>Georgianos abandonam suas casas perto da cidade de Tskhinvali, em 8 de agosto de 2008. A G&eacute;orgia prop&ocirc;s um cessar-fogo ap&oacute;s uma amplia&ccedil;&atilde;o da ofensiva russa para for&ccedil;ar o recuo das tropas georgianas que tentam tomar o controle da regi&atilde;o separatista de Oss&eacute;tia do Sul. Photo by David Mdzinarishvili</p>