Aécio afirma que estará junto com Serra em 2010

sexta-feira, 8 de agosto de 2008 20:02 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Um dia depois de levar seu apoio ao candidato a prefeito Geraldo Alckmin (PSDB), o governador Aécio Neves (MG) se encontrou com o governador José Serra (SP) e afirmou que os dois serão aliados na sucessão presidencial de 2010.

"Em 2010 vocês podem ter apenas uma certeza: Serra e Aécio vão estar juntos", disse o governador mineiro a jornalistas no Palácio dos Bandeirantes, com Serra a seu lado.

Na noite anterior, Aécio havia afastado a possibilidade de uma chapa única entre os dois tucanos para concorrer à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A necessidade de realizar alianças foi o motivo alegado por Aécio para combater esta idéia. Os dois tucanos já estão em disputa pela indicação do PSDB para a sucessão presidencial.

"Quando eu converso com Serra, a gente fala de política, de Brasil, da vida, e encontrei o governador muito animado com São Paulo", disse Aécio que esteve com Serra por uma hora e meia.

Na entrevista, Serra procurou afastar o tema das eleições de São Paulo. Ele ainda não aderiu publicamente à campanha de Alckmin, enquanto Aécio anunciou na quinta-feira seu apoio público. Na ocasião, Aécio afirmou que os tucanos precisam entender que Serra tem compromissos com o prefeito e candidato Gilberto Kassab (DEM), que foi seu vice, e é preciso dar tempo a ele.

"(Conversamos) um pouquinho (sobre SP), mais sobre eleições municipais no Brasil, fazendo uma avaliação sobre chances. Vimos que o PSDB tem boas chances, um bom desempenho nacional. Trocamos figurinhas, informações que um sabe mais que o outro sobre determinado lugar", disse Serra.

Os dois governadores também trataram de maneiras de levar reivindicações dos Estados do Sudeste ao governo federal, como o reembolso pela Lei Kandir.

"A Lei Kandir transformou a exportação de um Estado num ônus", declarou Serra, apontando ainda dificuldades com a reforma tributária.

Para Aécio, "há uma tendência do governo federal de legislar em questões dos Estados, mas sem consulta aos Estados."

Os governadores do Sudeste pretendem se reunir ainda este mês e querem levar à reunião os presidentes da Câmara e do Senado. (Reportagem de Carmen Munari)