Força de segurança palestina entra em Nablus com apoio de Israel

sexta-feira, 2 de novembro de 2007 14:48 BRST
 

Por Atef Sa'ad

NABLUS, Cisjordânia (Reuters) - Centenas de membros de uma força de segurança palestina chegaram a Nablus, na sexta-feira, cumprindo o primeiro estágio de um esforço apoiado pelo Ocidente para reprimir milícias na Cisjordânia ocupada, antes de uma conferência de paz com Israel.

O governo israelense, que tenta fortalecer o presidente palestino no embate contra o Hamas, aprovou o desembarque das forças na cidade da Cisjordânia.

David Baker, porta-voz do governo de Israel, disse que a manobra daria mais segurança e poderia ser repetida em outros pontos da região se desse resultado.

Vestidos com boinas verdes e carregando fuzis automáticos, 308 membros das Forças Palestinas de Segurança Nacional -- que equivale a um exército -- desembarcaram em Nablus ao amanhecer, vindos de um centro de treinamento em Jericó. Os homens montaram alguns postos de controle na região.

Os integrantes da força de segurança, que ficarão na cidade durante os próximos dias, devem ajudar um pequeno contingente policial que enfrenta dificuldades para reprimir as milícias e gangues presentes na cidade.

O primeiro-ministro palestino, Salam Fayyad, afirmou a repórteres que a operação serviria de "ponto inicial" para um esforço mais amplo "cujo objetivo é restaurar o império da lei" nos territórios palestinos.

Israel assumiu o controle das cidades da Cisjordânia entregues à Autoridade Palestina por meio dos acordos interinos de paz de 1993 depois do início de um levante palestino em 2000. Desde então, os israelenses impedem as forças de segurança palestinas de agirem nas cidades.

Apesar de a polícia palestina ter, recentemente, obtido autorização para voltar à ativa, esta é a primeira vez em que as forças de segurança poderão entrar em ação na Cisjordânia desde 2002.   Continuação...

 
<p>Centenas de membros de uma for&ccedil;a de seguran&ccedil;a palestina chegaram a Nablus, na sexta-feira, cumprindo o primeiro est&aacute;gio de um esfor&ccedil;o apoiado pelo Ocidente para reprimir mil&iacute;cias na Cisjord&acirc;nia ocupada, antes de uma confer&ecirc;ncia de paz com Israel. Photo by Mohamad Torokman</p>