29 de Dezembro de 2007 / às 14:20 / em 10 anos

Oposição declara vitória em eleição no Quênia

Por Helen Nyambura-Mwaura e Katie Nguyen

NAIRÓBI (Reuters) - O partido de oposição no Quênia declarou vitória no sábado na votação para a Presidência, após os números oficiais darem ao seu candidato uma liderança de quatro pontos percentuais sobre o presidente Mwai Kibaki com três quartos dos votos apurados.

Atrasos no anúncio dos resultados geraram tensões étnicas na maior economia do leste africano, com jovens brigando, saqueando e queimando casas em redutos da oposição.

“Honorável Raila Odinga é o vencedor e o quarto presidente da República do Quênia”, disse o vice-presidente do Movimento Democrático Laranja Musalia Mudavadi.

O partido de Kibaki, que esperava um segundo mandato de cinco anos, ridicularizou o anúncio e disse que esperaria pelo resultado da Comissão Eleitoral do Quênia.

Samuel Kivuitu, da Comissão Eleitoral, pediu cautela à oposição: “Quantas vezes nós encontramos pessoas na rua dizendo ‘Esta loja é minha’ e o homem não tem as calças?... Eu posso até anunciar que eu sou o presidente do Quênia. Isso vai me fazer o presidente do Quênia?”

Resultados oficiais, no entanto, mostram Odinga em direção à vitória.

A comissão eleitoral registrou 3,73 milhões de votos para ele, ou 49 por cento em 159 das 210 regiões. Kibaki estava com 45 por cento.

Odinga liderou a contagem no início, mas quando Kibaki começou a diminuir a diferença, a oposição disse temer fraude.

“Nós estamos sentindo um plano para fraudar as eleições”, disse o entregador Eric Ochieng, 18, em meio a protestos na cidade de Kisumu, terra natal de Odinga. “Nós não vamos aceitar isso”, ele completou.

Desde o início da manhã, centenas de jovens estão nas ruas de Kisumu --uma cidade normalmente pacata-- queimando pneus, saqueando lojas e bloqueando ruas.

Moradores afirmam que pelo menos uma pessoa foi morta.

Em Nairóbi, as ruas estavam desertas no centro da cidade, com as portas das lojas fechadas. Caminhões com policiais militares fazem o patrulhamento.

Se Odinga vencer, ele vai satisfazer uma ambição antiga de liderar o Quênia, um sonho de seu pai, o herói nacionalista Jaramogi Oginga Odinga, que se tornou vice-presidente.

A posse do novo presidente do Quênia ocorre dentro de poucos dias.

Reportagem adicional de Guled Mohamed em Kisumu; Noor Khamis, Tim Cocks, Bryson Hull, George Obulutsa, Joseph Sudah, Duncan Miriri, Andrew Cawthorne e Nicolo Gnecchi em Nairóbi

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below