Presidente da Bovespa defende minoritários da PETROBRAS

quinta-feira, 21 de agosto de 2008 15:08 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 21 de agosto (Reuters) - O governo federal, na condição de controlador da Petrobras (PETR4.SA: Cotações), precisa levar em conta os direitos dos acionistas minoritários da companhia em meio às discussões de um novo aparato regulatório para exploração de petróleo na camada pré-sal.

"Os 400 mil brasileiros que escolheram ter as ações da Petrobras precisam ser respeitados. Os direitos deles não podem simplesmente ser rasgados e jogados fora', disse Gilberto Mifano, presidente do Conselho de Administração da BM&F Bovespa BVMF3.SA a jornalistas, após palestra em evento da Apimec no Rio.

Segundo ele, a mudança das regras pode ser considerada uma traição aos pequenos acionistas, dependendo do modelo que for adotado pelo governo.

Uma das hipóteses que têm sido discutida é a criação de uma nova empresa 100 por cento estatal para gerenciar os recursos do pré-sal. De acordo com analistas, isso seria prejudicial para a Petrobras.

Para Mifano, o governo federal tem o direito de fazer novas regras para reservas que ainda não foram licitadas, mas os eventuais direitos detidos pela Petrobras devem ser preservados.

"Não é porque as reservas são da União que se deve passar por cima dos investidores", afirmou. O executivo descartou, entretanto, a participação da Bolsa em qualquer movimento de defesa dos acionistas.

(Reportagem de Aluísio Alves; edição de Renato Andrade)