Presidente do Banco Central do Equador renuncia

domingo, 11 de novembro de 2007 17:48 BRST
 

QUITO (Reuters) - O presidente do Banco Central do Equador, Jorge Dávalos, e cinco outros importantes funcionários da instituição pediram demissão, em meio a articulações do governo de esquerda do país para tirar a autonomia do banco, informou um jornal local no domingo.

"Eles querem sair a fim de abrir caminho para mudanças necessárias", disse o membro da diretoria do banco Robert Andrade, aliado próximo do presidente Rafael Correa, em entrevista ao jornal "El Comercio".

Dávalos, que assumiu em junho, apóia publicamente as posições econômicas de Correa. Entretanto, um antigo executivo do banco, que pediu anonimato, disse à Reuters que Dávalos pediu demissão na sexta-feira por discordar do plano de Correa para controlar o banco.

O banco central equatoriano passou a ter pouca influência na política monetária depois que o país produtor de petróleo adotou o dólar norte-americano como sua moeda oficial em 2000, durante uma grave crise financeira. Entretanto, o banco controla a política bancária e as reservas do país, que chegam a quase 4 bilhões de dólares.

Os outros executivos que se demitiram incluem o diretor do banco, um assessor jurídico, o subgerente e dois gerentes regionais, disse o jornal.

Correa, que tem fortes laços com três dos cinco membros da diretoria do banco, disse que a entidade não tem uma função real e é um peso para os cofres do governo. Seu governo pretende eliminar os 1,1 bilhão de dólares em dívidas ao banco.