Surto de febre amarela no Brasil é "bastante sério", diz OMS

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008 18:27 BRST
 

GENEBRA (Reuters) - O surto de febre amarela que matou 13 pessoas desde o fim de dezembro no Brasil é "bastante sério", disse a Organização Mundial da Saúde na sexta-feira.

As infecções ocorreram em áreas rurais de Goiás, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal, segundo o Ministério da Saúde.

"É um surto bastante sério", disse em entrevista coletiva em Genebra a porta-voz da OMS, Fadela Chaib, citando o registro de 48 casos de febre amarela desde o fim de dezembro, com 13 mortes.

O Ministério da Saúde confirma o surto, mas diz ter havido apenas 25 casos, inclusive os 13 que provocaram mortes. Segundo o último boletim do ministério, emitido na quinta-feira, foram notificadas 51 suspeitas de febre amarela, das quais 21 foram descartadas e 5 permanecem sob investigação. O governo disse que todos os casos foram do tipo silvestre originários de zonas rurais, onde há macacos contaminados. Desde 1947 o Brasil não registra casos da febre amarela urbana, transmitida entre humanos. Em ambos os casos, um mosquito atua como vetor.

Desde a confirmação dos primeiros casos, em janeiro, milhões de pessoas fizeram filas em postos de saúde para se vacinar.

O governo recomendou a vacinação para pessoas que pretendam viajar às áreas de risco, que abrangem total ou parcialmente 16 dos 26 Estados, mais o Distrito Federal. A vacina deve ser tomada com dez dias da antecedência.

Além disso, as autoridades pediram à Fundação Oswaldo Cruz, que fabrica a vacina, que duplique a produção em 2008, chegando a quase 30 milhões de doses.

Os casos registrados desde o fim de dezembro superam amplamente os ocorridos em todo o ano de 2007, quando houve seis casos confirmados, com cinco mortes, segundo dados oficiais.

(Reportagem de Stephanie Nebehay; Com reportagem adicional de Julio Villaverde no Rio de Janeiro)