Bush e Congresso fazem acordo por pacote anti-recessão

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008 21:07 BRST
 

Por Richard Cowan e Donna Smith

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, e líderes parlamentares chegaram na quinta-feira a um acordo sobre um pacote de 150 bilhões de dólares em restituições fiscais para famílias e em incentivos empresariais, visando a evitar uma recessão na maior economia do mundo.

O acordo prevê restituições fiscais de 600 dólares para indivíduos e 1.200 dólares para casais, além de 300 dólares por filho. É uma rara demonstração de cooperação entre Bush e o Congresso, dominado pela oposição democrata.

A idéia é injetar dinheiro na economia para atenuar os efeitos da crise das hipotecas imobiliárias, da escassez de crédito e do aumento do preço do petróleo.

"Este acordo é resultado de discussões intensas e muitos telefonemas, encontros tarde da noite e o tipo que cooperação que alguns previam que não seria possível aqui em Washington", disse Bush a jornalistas. "Este pacote tem o conjunto correto de políticas e o tamanho correto", acrescentou.

"Vem na hora certa, tem alvo, é temporário e foi feito em tempo recorde", disse a presidente da Câmara, democrata Nancy Pelosi, prometendo medidas adicionais caso isso seja necessário.

"Não posso dizer que eu esteja totalmente contente com o pacote. Mas sei que vai ajudar a estimular a economia, e se não haverá mais pela frente."

A proposta ainda pode sofrer mudanças no Senado, especialmente no sentido de ampliar seu valor. Os 150 bilhões de dólares da proposta inicial representam cerca de 1 por cento do PIB dos EUA.

O líder da maioria democrata no Senado, Harry Reid, disse esperar que o plano seja enviado à sanção de Bush até meados de fevereiro, mas que antes será examinado com atenção pelos senadores.   Continuação...