August 14, 2008 / 6:08 PM / 9 years ago

Chefe da ONU mostra preocupação com situação da Geórgia

4 Min, DE LEITURA

<p>O secret&aacute;rio-geral das Na&ccedil;&otilde;es Unidas Ban Ki-moon discursa em coletiva de imprensa ap&oacute;s conversa com chanceler alem&atilde; Angela Merkel em Berlin, dia 15 de julho.Ban Ki-moon afirmou estar preocupado com a situa&ccedil;&atilde;o humanit&aacute;ria e a viol&ecirc;ncia nas &aacute;reas da Ge&oacute;rgia atingidas pela guerra. Photo by Fabrizio Bensch</p>

Por Louis Charbonneau

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - Ban Ki-moon, secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), afirmou estar preocupado com a situação humanitária e a violência nas áreas da Geórgia atingidas pela guerra.

Ban disse ainda se inquietar com o fato de membros de grupos de ajuda estarem tendo dificuldade para ingressar naquelas áreas.

Eu estou "extremamente preocupado com o impacto humanitário do conflito recente sobre a população civil da Geórgia, que registrou mortos e feridos, além de danos significativos a construções e a obras de infra-estrutura", afirmou Ban em um comunicado divulgado por meio do gabinete de sua porta-voz.

O secretário-geral afirmou ainda que a guerra deixou um volume significativo de pessoas desabrigadas.

Ban conclamou "todos os lados a controlarem as forças sob seu comando a fim de garantir que cesse o atual estado de ausência das leis."

"Grandes partes da área afetada pelo conflito, em especial a Ossétia do Sul e a região de Gori, continuam quase inacessíveis a organizações humanitárias devido à falta de segurança, à ausência de leis e a outros problemas", disse.

Farhan Haq, porta-voz da ONU, afirmou a repórteres que Ban havia falado, por telefone, com o presidente georgiano, Mikheil Saakashvili, na quinta-feira, mas não forneceu detalhes sobre a conversa.

Segundo Haq, homens em uniformes militares sem identificação haviam confiscado dois veículos da ONU em Gori.

A guerra entre a Rússia e a Geórgia iniciou-se na semana passada depois de soldados georgianos terem ingressado na Ossétia do Sul a fim de restabelecer o controle do governo central sobre esse território. A ação levou o governo russo a enviar seus soldados para dentro da ex-República soviética.

Ban recebeu com satisfação o acordo de cessar-fogo firmado pelos governos dos dois países. No entanto, mostrou-se preocupado com "os relatos sobre persistirem alguns episódios de violência nos quais os civis seriam as principais vítimas".

"Além disso, como continua a existir muita tensão na área, é essencial que medidas sejam tomadas para proteger os grupos minoritários de toda a Geórgia", afirmou o secretário-geral.

Ban pediu que todos os envolvidos no conflito cumpram as obrigações previstas nas leis internacionais humanitárias e dos direitos humanos.

O diplomata de um dos países ocidentais que integram atualmente o Conselho de Segurança da ONU disse à Reuters que uma delegação francesa trabalhava com afinco em cima de um projeto de resolução que pediria o envio de forças de paz internacionais para a Geórgia a fim de monitorar a trégua.

Segundo esse diplomata, um dos pontos complicados da tarefa era tratar da integridade territorial da Geórgia de forma a satisfazer os georgianos e os russos.

Reportagem de Louis Charbonneau

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below