Goldman Sachs divulga relatório sombrio nos EUA

terça-feira, 20 de novembro de 2007 18:11 BRST
 

NOVA YORK, 20 de novembro (Reuters) - O Goldman Sachs (GS.N: Cotações) divulgou um relatório sombrio a respeito do setor financeiro nos Estados Unidos, alertando que o preço dos imóveis ainda deve cair bastante, que a inadimplência vai subir e que seguradoras de hipoteca e empresas que dão garantia de crédito terão de ampliar seu capital só para sobreviver.

A queda no valor dos imóveis e a piora do cenário econômico rebaixarão os títulos baseados em hipotecas imobiliárias, especialmente as concedidas a clientes com maior risco, segundo aprofundado relatório divulgado pelos analistas Lori Appelbaum, Thomas Cholnoky, James Fotheringham e William Tanona na segunda-feira.

Os papéis vinculados a empréstimos de risco ("subprime") podem sofrer queda de mais 150 bilhões de dólares, disse o banco.

A cifra se soma a 18 bilhões de dólares de prejuízos relatados em todo o mundo no terceiro trimestre e aos 22 bilhões que algumas empresas prevêem perder no quarto trimestre.

Um relatório anterior da Goldman Sachs, apontando riscos para o Citigroup, já havia derrubado ações no mundo todo, refletindo a crise do crédito imobiliário nos EUA, que neste ano contagiou os mercados globais.

Na segunda-feira, as principais ações dos EUA caíram para seus menores níveis em três meses. O índice Asia MSCI também registrou seu menor valor desde setembro. Ações ligadas ao setor financeiro foram as mais afetadas.

Analistas disseram que as seguradoras de hipotecas se dividirão entre as desesperadas --que precisam elevar seu capital para ficar no mercado-- e as que poderiam recorrer a outros meios, como cortar dividendos.

Por causa das restrições aos mutuários "subprime" os lucros das empresas que fazem seguro das hipotecas devem cair significativamente.

A Goldman cita as empresas MBIA Inc, Ambac Financial Group Inc, Security Capital Assurance Ltd e Assured Guaranty Ltd como "desesperadas". Citigroup Inc, Washington Mutual Inc, First Horizon, National Corp and National City Corp aparecem na coluna das "necessitadas".   Continuação...