Secretário-geral da ONU discutirá biocombustíveis no Brasil

terça-feira, 6 de novembro de 2007 22:21 BRST
 

Por Claudia Parsons

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, disse na terça-feira que vai discutir durante sua visita ao Brasil, na semana que vem, formas de equilibrar as preocupações com o aquecimento global e com a segurança alimentar na produção de biocombustíveis.

Falando antes de iniciar uma viagem que antes o levará à Argentina, à Antártida e a Punta Arenas (Chile), Ban disse que desejava ver por conta própria o impacto do aquecimento global.

O Brasil é uma potência no desenvolvimento de biocombustíveis a partir de cultivos vegetais como substituição do petróleo. A preocupação com o aquecimento global alimentou uma grande expansão dos biocombustíveis, o que fez com que alguns agricultores preferissem produzir álcool em vez de alimentos, levando a um aumento no preço dos cereais.

No mês passado, o relator especial da ONU sobre o direito à alimentação, Jean Ziegler, defendeu uma moratória de cinco anos nos biocombustíveis, dizendo ser "um crime contra a humanidade" transformar plantações de alimentos em combustível quando há quase 1 bilhão de famintos no mundo.

Mas Ban disse que fontes energéticas alternativas são vitais para combater o aquecimento, prioridade dele desde que assumiu o cargo, no ano passado.

"O relatório de pesquisa da ONU publicado neste ano salientou que os biocombustíveis são mais promissores em tratar dessas questões do aquecimento global por meio de emissões de baixo carbono", disse Ban.

"Ao mesmo tempo, é verdade que há algumas preocupações manifestadas por especialistas a respeito do possível impacto sobre a segurança alimentar. A eliminação da pobreza extrema deve também ser uma alta prioridade. Portanto, como reconciliar ou ter algum desenvolvimento equilibrado tratando dessas questões será algo muito importante."

"Vou discutir esse assunto quando visitar o Brasil, com os líderes brasileiros, e examinar por conta própria", afirmou Ban, que será recebido por pesquisadores e grupos indígenas na Amazônia e vai conhecer uma usina de álcool.

Em dezembro, ele será o anfitrião de uma conferência climática da ONU em Bali (Indonésia), que deve dar início às negociações para um tratado climático que suceda ao Protocolo de Kyoto a partir de 2012.