14 de Março de 2008 / às 15:26 / 9 anos atrás

Rice ouve música e dança em visita a Salvador

<p>Rice ouve m&uacute;sica e dan&ccedil;a em visita a Salvador. A secret&aacute;ria de Estado dos EUA, Condoleezza Rice ao lado do governador da Bahia, Jacques Wagner. Em igreja de Salvador constru&iacute;da no s&eacute;culo 18, Rice ouviu negros cantarem m&uacute;sicas sobre os horrores do cativeiro e os sonhos de liberdade. 14 de mar&ccedil;o. Photo by Stringer</p>

Por Arshad Mohammed SALVADOR (Reuters) - Balançado a cabeça e batendo palmas, a secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, ouviu na sexta-feira, em uma igreja de Salvador construída no século 18 por escravos e para os escravos, negros cantarem músicas sobre os horrores do cativeiro e os sonhos de liberdade.

Em um raro momento turístico, Rice saiu de seu veículo blindado e caminhou pelas ruas de paralelepípedo para visitar igrejas barrocas restauradas e palacetes do bairro do Pelourinho, cujo nome lembra o mastro ao qual os escravos eram amarrados para serem açoitados.

Rice, primeira negra a comandar a Secretaria de Estado dos EUA, disse que ansiava há bastante tempo visitar a Bahia, o ponto de entrada de dezenas de milhares de africanos vendidos como escravos e ainda hoje o coração da cultura afro-brasileira.

A secretária deu início a sua viagem pela igreja história da Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, construída ao longo de um século por escravos que trabalhavam à noite, nos feriados e no tempo livre que conseguissem encontrar para ter seu próprio local de culto.

Sentada na primeira fileira de bancos, Rice balançou a cabeça acompanhando seis pessoas que cantaram duas músicas --uma sobre o desejo de liberdade dos escravos e outra sobre a história de sofrimento e dor de um negro enviado à força da costa ocidental da África para o Brasil.

"Um novo dia chegará, um novo céu, uma nova terra, um novo mar. E, nesse dia, os oprimidos cantarão para a liberdade em uma única voz", entoaram os cantores.

"Que história incrível", afirmou Rice a repórteres. "Isso me lembra de como a fé pode ajudar as pessoas a superar qualquer obstáculo."

"Isso me lembra um pouco da vida das pessoas durante as épocas terríveis, horríveis de discriminação, épocas que nenhum de nós consegue nem mesmo imaginar. E eu nunca tinha ouvido uma voz assim bonita."

Rice visitou também um museu que apresenta artefatos da fusão das culturas africana e européia característicos da Bahia.

A secretária de Estado viu-se acompanhada várias vezes, ao longo da visita, por grupos de percussão e assistiu a uma apresentação de capoeira.

Rice visitou Salvador entre as reuniões oficiais que manteve em Brasília, na quinta-feira, e a estadia de sete horas que fará em Santiago, no Chile, ainda na sexta-feira.

A secretária pareceu estar realmente se divertindo em sua estadia em Salvador. No jantar de quinta-feira à noite, ela dançou e tocou tamborim com o ministro da Cultura, Gilberto Gil.

Conversando com Gil, que exibia seus longos dreadlocks, Rice prometeu ir vê-lo se apresentar quando o cantor for a Washington realizar um show, na metade deste ano.

"Eu vou ao seu show", disse a norte-americana.

O Brasil foi o país que mais importou escravos da África nas Américas e foi o último a abolir a escravidão, em 1888.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below