Bush faz críticas mais duras ao presidente da Venezuela

quarta-feira, 12 de março de 2008 13:52 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos EUA, George W. Bush, intensificou na quarta-feira suas críticas ao presidente da Venezuela, Hugo Chávez, acusando-o de exibir um "padrão preocupante" de comportamento provocativo e de desperdiçar o petróleo do seu país para fomentar o antiamericanismo.

Bush fez essas declarações dias depois de os líderes latino-americanos terem se mobilizado para colocar fim a uma crise de uma semana provocada por uma ação militar colombiana dentro do território equatoriano. Na ação morreu um importante comandante da guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

A Venezuela e o Equador responderam à investida mandando tropas para suas fronteiras com o território colombiano. O governo da Colômbia é o maior aliado dos EUA na região.

"Esse é o capítulo mais recente de um padrão preocupante de comportamento provocativo exibido pelo regime de Caracas", afirmou Bush em um discurso na Câmara de Comércio Hispano-Americana.

Quando a crise tomou conta da região andina na semana passada, Bush logo apontou Chávez, um estridente líder de esquerda contrário ao governo norte-americano, como o responsável por ela e advertiu sobre o perigo de serem realizadas ações agressivas.

Tentando estabelecer uma relação entre o governo Chávez e as Farc, que os EUA vêem como um grupo terrorista, Bush disse na quarta-feira: "O regime (de Caracas) também pediu que os terroristas das Farc fossem reconhecidos como um Exército legítimo, e importantes autoridades desse regime reuniram-se com líderes das Farc na Venezuela."

A crise andina reflete a clara divisão política existente na América do Sul, onde o presidente colombiano, Alvaro Uribe, que conta com o apoio dos EUA, enfrenta o bloco esquerdista liderado por Chávez, bloco esse que rejeita categoricamente o que classifica como sendo o "imperialismo norte-americano."

O presidente da Venezuela, que defende a implantação de uma revolução socialista na América Latina para barrar a influência dos EUA, lançou vários insultos contra Bush nos últimos anos.

Certa vez, em um discurso na Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Chávez chamou o líder norte-americano de "diabo."   Continuação...