Cheney duvida de reconciliação entre Hamas e Fatah

segunda-feira, 24 de março de 2008 09:55 BRT
 

Por Toby Zakaria

JERUSALÉM (Reuters) - O vice-presidente dos EUA, Dick Cheney, disse na segunda-feira não acreditar que o presidente palestino, Mahmoud Abbas, queira a conciliação com o Hamas se o grupo islâmico não aceitar entregar a Faixa de Gaza.

Ele falou a jornalistas em Jerusalém um dia depois de representantes das facções Fatah, de Abbas, e Hamas divulgarem uma declaração em Sanaa (Iêmen) na qual concordavam em participar de uma iniciativa iemenita para promover o diálogo.

"Minha conclusão ao conversar com a liderança palestina é que eles estabeleceram pré-condições que seriam cumpridas antes de concordarem com uma reconciliação, o que inclui a completa reversão da tomada de Gaza pelo Hamas", disse Cheney.

O vice-presidente faz uma visita de três dias a Israel e aos territórios palestinos para promover o processo de paz mediado pelos EUA. Ele foi recebido na segunda-feira por Abbas na Cisjordânia.

A iniciativa iemenita propõe o retorno da "situação palestina" ao status anterior a junho de 2007, quando o Hamas expulsou as forças da Fatah da Faixa de Gaza.

A Fatah, que governa apenas a Cisjordânia, deixou claro depois da divulgação da declaração de Sanaa que continua exigindo a entrega da Faixa de Gaza.

O Hamas rejeitou essa posição, dizendo que ainda cabem negociações sobre os artigos do plano iemenita.

O grupo islâmico é contra o processo de paz do qual participam Abbas e Israel.

Referindo-se à Faixa de Gaza, Cheney disse que "é uma situação claramente difícil, em parte porque acho que é verdade que há provas e que o Hamas é apoiado por Irã e Síria, e estão fazendo de tudo para torpedear o processo de paz."

Após receber Cheney, Abbas disse que a ampliação dos assentamentos de Israel, os bloqueios rodoviários na Cisjordânia e as ações contra militantes estão emperrando o progresso das negociações relançadas em novembro numa conferência nos EUA.

 
<p>Dick Cheney com Nouri Al-Maliki em visita ao Iraque REUTERS. Photo by Reuters (Handout)</p>