Lula defende participação no "banquete dos países poderosos"

quarta-feira, 17 de outubro de 2007 11:03 BRST
 

Por Paul Simao

PRETÓRIA (Reuters) - Brasil, Índia e África do Sul prometeram na quarta-feira lutar pelos interesses dos países pobres nas negociações sobre o comércio global, que estão emperradas, e disseram que só haverá acordo se ele for benéfico ao mundo em desenvolvimento.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o premiê indiano Manmohan Singh e o presidente sul-africano Thabo Mbeki manifestaram apoio às reformas na ONU (Organização das Nações Unidas), reforçando a imagem de uma frente política unida que muitas vezes faz oposição a Washington e outras potências.

Cada um dos três países está fazendo lobby para obter uma cadeira permanente no Conselho de Segurança da ONU, a fim de dar uma voz mais forte aos países em desenvolvimento na entidade. Hoje são cinco os países com postos permanentes e poder de veto: Estados Unidos, Rússia, China, Grã-Bretanha e França.

"Chegou o momento de tomar decisões", disse Lula, em referência à reforma da ordem internacional. "Não adianta nada ser convidado para a sobremesa e não para o banquete dos países poderosos."

Mbeki concordou: "Pensamos realmente igual." Singh também manifestou seu desejo de que os países em desenvolvimento tenham maior influência econômica e política no mundo.

DOHA

Os três líderes reuniram-se numa cúpula na cidade sul-africana de Pretória para discutir maneiras de diminuir a dependência comercial da Ásia, da América Latina e da África em relação às economias ricas do Hemisfério Norte.

Eles ressaltaram a importância de conseguir concluir a rodada de Doha de negociações sobre o comércio global, lançadas há seis anos no Catar para incentivar as negociações na área de agricultura, indústria e serviços.   Continuação...

 
<p>O primeiro-ministro indiano, Manmohan Singh (centro), abra&ccedil;a o presidente brasileiro, Luiz In&aacute;cio Lula da Silva ao lado do presidente da &Aacute;frica do Sul, Thabo Mbeki (esquerda), em Pret&oacute;ria, na &Aacute;frica do Sul. Brasil, &Iacute;ndia e &Aacute;frica do Sul prometeram na quarta-feira lutar pelos interesses dos pa&iacute;ses pobres nas negocia&ccedil;&otilde;es sobre o com&eacute;rcio global, que est&atilde;o emperradas, e disseram que s&oacute; haver&aacute; acordo se ele for ben&eacute;fico ao mundo em desenvolvimento. Photo by Reuters</p>