EUA protestam após queima de embaixada em Belgrado

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008 19:37 BRT
 

Por Ellie Tzortzi

BELGRADO (Reuters) - Os Estados Unidos reagiram com indignação na quinta-feira ao incêndio e saque em sua embaixada em Belgrado, provocados por manifestantes contrários à independência de Kosovo.

"Estou ultrajado com este ataque da turba," disse o embaixador norte-americano na ONU, Zalmay Khalilzad, que deve pedir ao Conselho de Segurança uma nota de condenação ao incidente.

Mais tarde, uma autoridade norte-americana que não quis ter seu nome revelado, disse que foi encontrado um corpo carbonizado na embaixada e que todos os funcionários norte-americanos foram contactados. Essa autoridade não tinha informações sobre a identidade e nacionalidade da vítima fatal.

A violência atingiu também outras embaixadas, além de bancos e lojas, e deixou uma marca negativa na manifestação convocada pelo governo contra a independência de Kosovo, da qual participaram cerca de 200 mil pessoas, inconformadas com a perda de uma região considerada o berço simbólico da pátria.

"Enquanto vivermos, Kosovo será Sérvia", disse o primeiro-ministro Vojislav Kostunica à multidão num palanque armado em frente ao prédio que abrigou o Parlamento da antiga Iugoslávia.

"Não estamos sozinhos na nossa luta. O presidente (russo, Vladimir) Putin está conosco", afirmou ele.

Essa foi a maior manifestação popular na Sérvia desde outubro de 2000, quando uma multidão invadiu o mesmo edifício para depor o ditador Slobodan Milosevic. Em 1999, também houve uma grande concentração em protesto contra os bombardeios da Otan.

Na quinta-feira, havia um clima de abatimento entre os sérvios de todas as idades, que ouviam discursos, melancólicas canções patrióticas e poemas sobre Kosovo, onde hoje a população é de maioria étnica albanesa.   Continuação...