21 de Fevereiro de 2008 / às 22:35 / em 10 anos

EUA protestam após queima de embaixada em Belgrado

Por Ellie Tzortzi

BELGRADO (Reuters) - Os Estados Unidos reagiram com indignação na quinta-feira ao incêndio e saque em sua embaixada em Belgrado, provocados por manifestantes contrários à independência de Kosovo.

“Estou ultrajado com este ataque da turba,” disse o embaixador norte-americano na ONU, Zalmay Khalilzad, que deve pedir ao Conselho de Segurança uma nota de condenação ao incidente.

Mais tarde, uma autoridade norte-americana que não quis ter seu nome revelado, disse que foi encontrado um corpo carbonizado na embaixada e que todos os funcionários norte-americanos foram contactados. Essa autoridade não tinha informações sobre a identidade e nacionalidade da vítima fatal.

A violência atingiu também outras embaixadas, além de bancos e lojas, e deixou uma marca negativa na manifestação convocada pelo governo contra a independência de Kosovo, da qual participaram cerca de 200 mil pessoas, inconformadas com a perda de uma região considerada o berço simbólico da pátria.

“Enquanto vivermos, Kosovo será Sérvia”, disse o primeiro-ministro Vojislav Kostunica à multidão num palanque armado em frente ao prédio que abrigou o Parlamento da antiga Iugoslávia.

“Não estamos sozinhos na nossa luta. O presidente (russo, Vladimir) Putin está conosco”, afirmou ele.

Essa foi a maior manifestação popular na Sérvia desde outubro de 2000, quando uma multidão invadiu o mesmo edifício para depor o ditador Slobodan Milosevic. Em 1999, também houve uma grande concentração em protesto contra os bombardeios da Otan.

Na quinta-feira, havia um clima de abatimento entre os sérvios de todas as idades, que ouviam discursos, melancólicas canções patrióticas e poemas sobre Kosovo, onde hoje a população é de maioria étnica albanesa.

Não havia polícia por perto na hora do ataque à embaixada. A tropa de choque, com cerca de 200 homens, só chegou meia hora depois, usando gás lacrimogêneo e cassetetes e prendendo arruaceiros. A imprensa local disse que 60 pessoas ficaram feridas, inclusive 15 policiais. Algumas pessoas saíram sangrando.

O prédio já estava interditado desde que foi apedrejado por manifestantes no domingo, dia em que Kosovo declarou independência, após nove anos sob administração da ONU.

Depois da confusão, a polícia isolou todo o bairro das embaixadas, que fica a poucas centenas de metros da manifestação oficial.

O presidente Boris Tadic pediu que os manifestantes “protestem calmamente”. Em pronunciamento pela TV, ele afirmou que os distúrbios “só mantêm Kosovo afastado da Sérvia”.

Os ativistas --muitos com os rostos cobertos-- haviam destruído duas guaritas e atacaram o prédio com paus e barras metálicas. Quebraram as grades das janelas e arrancaram um corrimão da entrada, usando-o para forçar a entrada.

Um homem saltou até o primeiro andar, rasgou a bandeira norte-americana e chegou a hastear a bandeira sérvia.

Outras pessoas pulavam sobre a varanda, enquanto no jardim cerca de mil pessoas aplaudiam e gritavam “Sérvia”.

Houve uma coluna de fumaça preta na embaixada. Documentos e cadeiras foram atirados pelas janelas.

Os bombeiros controlaram as chamas logo depois de a multidão ser dispersada.

Reportagem adicional de Matt Robinson na fronteira entre Kosovo e Sérvia, Olja Stanic em Banja Luka, Ksenija Prodanovic em Belgrado

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below