Premiê britânico acena com ajuda econômica para Mianmar

segunda-feira, 15 de outubro de 2007 11:32 BRST
 

LONDRES (Reuters) - O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Gordon Brown, afirmou nesta segunda-feira que está preparado para oferecer um pacote de ajuda econômica a Mianmar se o país der início a um processo de transição para um regime democrático.

"Estamos dispostos a elaborar junto com outros líderes mundiais um pacote de medidas visando à melhoria da economia birmanesa, pacote esse a ser disponibilizado no caso de Burma mostrar-se disposta a avançar rumo à democracia e à reconciliação", disse Brown a repórteres.

A declaração apareceu depois de o premiê ter recebido uma petição defendendo a democracia no país asiático e assinada por 750 mil pessoas.

Ministros das Relações Exteriores dos países-membros da União Européia (UE), que se reúnem nesta segunda-feira, devem avaliar a possibilidade de ampliar as sanções do bloco sobre Mianmar.

As medidas passariam dos atuais embargos comerciais limitados, proibição de viagens e congelamento de bens à suspensão dos negócios com madeira, pedras preciosas e metais preciosos -- todos produtos que representam importantes fontes de renda para a junta militar que domina o país asiático.

Duas semanas atrás, protestos pró-democracia ocorridos em Mianmar (ex-Burma) foram reprimidos pela junta militar. Muitos manifestantes acabaram detidos e alguns foram mortos.

Em um artigo publicado na segunda-feira, os chanceleres da França, Bernard Kouchner, e da Grã-Bretanha, David Miliband, disseram ser importante acenar para Mianmar com incentivos bem como com ameaças.