James Watson deixa laboratório após polêmica sobre africanos

quinta-feira, 25 de outubro de 2007 15:18 BRST
 

Por Will Dunham

WASHINGTON (Reuters) - O Nobel de medicina James Watson, um dos responsáveis pela descoberta da estrutura do DNA, afastou-se do laboratório em que trabalhava em virtude da repercussão de sua declaração questionando a inteligência dos africanos, afirmou na quinta-feira o Cold Spring Harbor Laboratory.

Segundo a instituição, Watson, 79 anos, aposentou-se depois de 40 anos trabalhando no laboratório. Na semana passada, a instituição havia anunciado que a diretoria suspendera Watson de suas atividades por causa das declarações polêmicas, dadas a um jornal britânico.

"Por mais de 40 anos, o dr. Watson fez contribuições inestimáveis à pesquisa do laboratório e a seus programas educativos", disse Eduardo Mestre, presidente da diretoria do laboratório, numa nota. "A diretoria respeita sua decisão de se retirar neste momento de sua carreira."

O comunicado do laboratório não fez menção à polêmica sobre a declaração de Watson.

Numa entrevista publicada na edição do dia 14 de outubro do The Sunday Times, Watson afirmou que tinha um "pessimismo inerente sobre as perspectivas da África".

"Todas as nossas políticas sociais baseiam-se no fato de que a inteligência deles é a mesma que a nossa -- enquanto todos os testes afirmam que na verdade não é", disse ele, segundo o jornal.

Watson dividiu o Nobel com Francis Crick e Maurice Hugh Frederick Wilkins, em 1962, pela descrição da estrutura em dupla hélice do DNA.

Depois da repercussão das declarações, Watson disse publicamente, em Londres: "A todos que inferiram das minhas palavras que a África, como continente, é de alguma forma geneticamente inferior, só posso pedir desculpas incondicionais".   Continuação...

 
<p>James Watson em Houston. O Nobel de medicina James Watson afastou-se do laborat&oacute;rio em que trabalhava em virtude da repercuss&atilde;o de sua declara&ccedil;&atilde;o questionando a intelig&ecirc;ncia dos africanos, afirmou Cold Spring Harbor Laboratory. Foto do Arquivo. Photo by Richard Carson</p>