EUA lamentam decisão russa sobre regiões georgianas, diz Rice

terça-feira, 26 de agosto de 2008 16:09 BRT
 

Por Arshad Mohammed

RAMALLAH, Cisjordânia (Reuters) - A secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, afirmou na terça-feira que o governo norte-americano lamenta a decisão tomada pela Rússia de reconhecer a independência das regiões georgianas da Abkházia e da Ossétia do Sul. Segundo Rice, a manobra russa não teria chance de ser aprovada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

"Quero deixar isto bem claro", disse Rice. "Já que os EUA são um dos membros permanentes do Conselho de Segurança (da ONU), essa manobra não tem chance de passar pelo Conselho de Segurança".

"E, portanto, segundo as resoluções do Conselho de Segurança ainda em vigor, a Abkházia e a Ossétia do Sul são parte das fronteiras internacionalmente reconhecidas da Geórgia e isso não vai mudar", afirmou a secretária em uma entrevista coletiva realizada na cidade de Ramallah, Cisjordânia.

Em Washington, Robert Wood, porta-voz do Departamento de Estado, disse que os EUA avaliavam as opções existentes para responder à "agressão" russa. Wood não quis discutir em detalhes quais seriam essas opções e nem se o governo norte-americano puniria a Rússia com sanções.

"Não podemos permitir que isso que a Rússia fez fique sem consequências. Não determinamos ainda quais consequências serão essas do nosso ponto de vista, mas, como disse, estamos analisando várias possibilidades", afirmou o porta-voz.

O conflito na Geórgia iniciou-se neste mês quando o governo georgiano tentou retomar à força a região separatista da Ossétia do Sul, pró-Rússia e livre do domínio georgiano desde os anos 1990. Os russos responderam com uma contra-ofensiva que esmagou as forças da Geórgia.

Os soldados da Rússia ingressaram na Ossétia do Sul e na Abkházia, uma outra região rebelde, antes de ingressarem em diferentes áreas da Geórgia, gerando críticas dos EUA, segundo os quais os russos haviam exagerado.

Não obstante um acordo de cessar-fogo, o presidente da Rússia, Dmitry Medvedev, afirmou na terça-feira que havia assinado decretos reconhecendo a independência da Ossétia do Sul e da Abkházia.   Continuação...