Qualcomm eleva projeção sobre demanda por celulares avançados

quinta-feira, 12 de junho de 2008 16:38 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - A Qualcomm, produtora de tecnologia de telefonia móvel, elevou sua projeção para o trimestre que se encerra em junho e para o ano fiscal, em meio ao aumento da demanda por celulares avançados, o que gerou alta de 5,5 por cento de suas ações.

A Qualcomm anunciou, nesta quinta-feira, que havia atualizado suas projeções a fim de refletir demanda superior à esperada pelos chips de alto preço usados em celulares de terceira geração (3G), dissipando as preocupações dos investidores quanto à possibilidade de que a fraqueza da economia dos Estados Unidos possa estar prejudicando as vendas de celulares.

Todd Rosenbluth, analista da Standard & Poor's Equity Research, disse que os investidores passaram a esperar que a Qualcomm registre maior crescimento nos mercados emergentes, onde os celulares de baixo preço tendem a prevalecer, devido à desaceleração econômica na América do Norte e na Europa.

Rosenbluth elevou suas projeções de lucro para a Qualcomm em 2008 e 2009 e sua estimativa para os preços das ações da empresa de 41 para 48 dólares.

A melhora nas perspectivas da Qualcomm surge durante uma semana movimentada no mercado de celulares inteligentes, que oferecem conexões mais velozes com a Web e recursos multimídia como e-mail e fotos. A Apple anunciou uma nova versão de seu iPhone, para competir melhor com o BlackBerry, da Research in Motion . e com os celulares da Nokia .

Ed Snyder, analistas da Charter Equity Research, disse que a Qualcomm parece estar se beneficiando da concorrência entre os fabricantes de celulares.

"Seus maiores clientes, Samsung Electronics e LG Electronics, estão ganhando mercado nos celulares 3G, o que significa que a Qualcomm está ganhando mercado", disse.

A empresa anunciou que espera que a receita em seu terceiro trimestre fiscal, que se encerra em 29 de junho, fique um pouco acima do limite superior de sua projeção anterior, entre 2,5 bilhões e 2,7 bilhões de dólares.

A média das estimativas de Wall Street para a empresa era de 2,6 bilhões de dólares no período, de acordo com a Reuters Estimates.

(Por Michele Gershberg e Ritsuko Ando; Colaborou Sinead Carew)