Bolívia militariza aeroporto em conflito administrativo

quinta-feira, 18 de outubro de 2007 13:53 BRST
 

LA PAZ, Bolívia (Reuters) - O governo da Bolívia interveio militarmente nesta quinta-feira no aeroporto da cidade de Santa Cruz, o principal do país, onde um conflito administrativo provocou a paralisação das operações de ao menos três companhias aéreas, informaram autoridades locais.

O vice-ministro do Interior, Rubén Gamarra, ao anunciar a intervenção, na qual dois militares ficaram feridos, afirmou que o funcionamento do aeroporto de Viru Viru, ao leste do país, estava "totalmente garantido".

Em declarações dadas a jornalistas em La Paz, Gamarra explicou que a intervenção aconteceu "devido a situações ilegais, cobranças extorsivas e ações práticas de sequestro de aviões realizadas pelos administradores (do aeroporto Viru Viru), fatos esses que afetam as linhas aéreas internacionais".

"Diante dessas ações, que põem em perigo a condição de aeroporto internacional de Viru Viru, o governo nacional realizou a intervenção e assumiu o controle das operações técnicas e aeroportuárias de Viru Viru", acrescentou.

A intervenção, realizada pela Força Aérea com o apoio da polícia, aconteceu às 4h da madrugada (6h em Brasília), em meio a enfrentamentos nos quais um militar recebeu um tiro e um outro, golpes desferidos com uma arma branca.

Além disso, foram detidos três civis armados que seriam supostos seguranças de Viru Viru.

As empresas aéreas ainda não se manifestaram sobre o episódio, mas, segundo a rádio Fides, o clima era normal no aeroporto durante as primeiras horas da manhã.

Estavam programados vôos de todas as companhias que operam regularmente no local, com exceção da American Airlines e da Gol .

As duas aéreas, junto com uma unidade da TAM, suspenderam suas operações na Bolívia na terça-feira, em protesto devido à cobrança de taxas não autorizadas da parte dos administradores de Viru Viru, que não respondem à administração aeroportuária nacional da Bolívia.