Giuliani e McCain investem contra Hillary

quarta-feira, 3 de outubro de 2007 22:26 BRT
 

Por Steve Holland

WASHINGTON (Reuters) - Os pré-candidatos republicanos à Presidência dos EUA Rudolph Giuliani e John McCain fizeram na quarta-feira ataques a Hillary Clinton, o que na prática comprova o favoritismo da senadora entre os democratas para a eleição de 2008.

Fazendo campanha em New Hampshire, o ex-prefeito de Nova York Giuliani comparou Hillary a George McGovern, o "esquerdista" que foi candidato democrata em 1972, por causa da proposta feita por ela na semana passada de oferecer uma caderneta de poupança de 5.000 dólares para pagar a universidade de cada bebê nascido nos EUA.

"Lembrem-se de quando McGovern fez isso na década de 70 --ele enviaria a todo mundo um cheque de mil dólares. E ela vai mandar a todo mundo nascido (nos Estados Unidos da) América um título-bebê de 5.000 dólares da Hillary, e se você pensar nisso são 22 bilhões de dólares do nosso dinheiro que ela vai gastar", disse Giuliani ao radialista conservador Dennis Prager.

A campanha de Hillary, que aparece disparada nas pesquisas, disse que a proposta dela não foi consolidada. "É lamentável que toda a campanha do (ex-)prefeito parta da premissa de atacar os outros ao invés de falar do que ele faria se eleito", disse Phil Singer, porta-voz da senadora.

Já McCain, em campanha na Carolina do Sul, criticou Hillary por sua postura sobre a guerra do Iraque, dizendo que ela "quer os dois caminhos quando se trata de política externa".

O senador preparou essa declaração para um discurso na Academia Militar de Camden. Acabou omitindo essa passagem por entender que ela não seria adequada a uma platéia de estudantes adolescentes, mas sua assessoria disse que McCain mantém sua opinião.

"Por um lado, a senadora por Nova York votou pela (autorização parlamentar à) guerra do Iraque. Por outro lado, ela agora se opõe. Por um lado, ela quer um firme cronograma para a retirada, mas por outro lado ela diz que não podemos abandonar a nação aos desígnios do Irã", afirmou McCain.

Também um pré-candidato democrata, o ex-senador John Edwards, criticou Hillary por sugerir que, em seu eventual governo, as tropas dos EUA continuariam autorizadas a manter missões de combate no Iraque. "Se você não acaba as missões de combate, não acaba a guerra", disse Edwards em Portsmouth, New Hampshire.

Uma nova pesquisa Washington Post/ABC mostra Hillary com uma sólida liderança de 53 por cento das intenções de voto nacionais entre os democratas, bem à frente dos 20 por cento do também senador Barack Obama e dos 13 por cento de Edwards.