February 10, 2008 / 6:50 PM / 9 years ago

Carro-bomba mata 33 no Iraque, Gates visita Bagdá

3 Min, DE LEITURA

Por Michael Holden e Andrew Gray

BAGDÁ (Reuters) - Um carro-bomba matou 33 pessoas no norte do Iraque no domingo, disseram autoridades, horas antes da chegada do secretário da Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, a Bagdá para avaliar recentes melhoras na segurança e discutir o número de militares norte-americanos no país.

Um porta-voz das Forças Armadas dos EUA disse que a explosão ocorreu perto do posto de controle do Exército na cidade de Balad. O coronel iraquiano Hamadi Atshan disse que a bomba atingiu um posto controlado por voluntário sunitas que se juntaram às forças dos EUA para combater a Al Qaeda.

Foi um dos ataques mais mortíferos no Iraque neste ano.

Gates disse a jornalistas que irá discutir o nível das tropas com o comandante das Forças Armadas dos EUA no Iraque, general David Petraeus.

O general deve falar ao Congresso dos EUA em abril sobre possíveis cortes futuros nas forças norte-americanas no Iraque, caso a recente queda na violência se sustente.

"Eu estarei obviamente interessado em ouvir do general Petraeus a sua avaliação --em que ponto ele está e o que ele sente que precisa fazer antes de estar pronto a voltar com suas recomendações", disse Gates.

Gates está visitando Bagdá um ano depois da ofensiva de segurança EUA-Iraque ter sido lançada com o auxílio de um contingente extra de 30 mil soldados na tentativa de evitar que o país entre de vez em uma guerra sectária.

A segurança melhorou desde que as forças adicionais foram totalmente empregadas, em junho, permitindo que os EUA começassem a retirar alguns soldados do país.

Até julho, o nível das forças dos EUA terá caído em cinco brigadas, derrubando o número de militares para no máximo 130 mil, ou o mesmo de antes de as forças adicionais terem começado a chegar ao Iraque, no início de 2007.

Gates, que chegou a Bagdá depois de comparecer a uma conferência sobre segurança na Alemanha, disse que iria parabenizar líderes iraquianos pelos progressos rumo à reconciliação política, como a aprovação da lei que permitirá a ex-membros do partido Baath, de Saddam Hussein, reganhem seus empregos no governo e nas Forças Armadas.

"Eles parecem ter se energizado nas últimas semanas", disse Gates.

Forças de segurança dos EUA e do Iraque lançaram uma série de ofensivas em províncias no norte do Iraque neste ano, destinada a combater a sunita Al Qaeda, responsabilizada pela maior parte dos ataques em larga escala no Iraque.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below