Identificação com aliados faz Lacerda arrancar em BH--analistas

segunda-feira, 25 de agosto de 2008 16:29 BRT
 

BELO HORIZONTE (Reuters) - A associação do candidato do PSB à prefeitura de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, ao governador Aécio Neves (PSDB) e ao prefeito Fernando Pimentel (PT) foi fundamental para a subida do socialista nas intenções de voto na capital. Essa é a avaliação de um cientista político e dos integrantes da coordenação da campanha de Lacerda.

Pesquisa Datafolha divulgada no último sábado mostrou arrancada de 15 pontos percentuais de Lacerda em relação a levantamento feito no fim de julho. Em um mês, o socialista saiu do terceiro lugar nas pesquisas, com 6 por cento da preferência, para 21 por cento, em empate técnico no primeiro lugar com a candidata Jô Moraes (PCdoB), preferida por 17 por cento dos entrevistados. A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais.

Apesar de parte dos correligionários de Lacerda apostar no horário eleitoral em rádios e TVs, o professor emérito do Departamento de Ciências Políticas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Fábio Wanderley, lembra que os programas veiculados nas emissoras não tiveram tempo de influenciar o eleitorado, já que começaram apenas no dia 19, dois dias antes do levantamento do Datafolha, realizado dias 21 e 22.

Para o professor, a pesquisa retrata a posição do eleitorado em relação a todo o mês de campanha.

"A participação de Pimentel e Aécio tem um impacto decisivo. O apoio do prefeito e do governador são fundamentais devido à popularidade que têm", avaliou, em entrevista à Reuters.

Segundo o professor, o horário eleitoral ajudou o candidato, que tem de longe o maior tempo nas TVs e rádios, mas a "dinâmica da campanha" foi decisiva para a melhora de Lacerda perante o eleitorado.

"Já tínhamos expectativa de subida nas pesquisas. Há seis anos há um trabalho conjunto do governador Aécio e do prefeito Pimentel. Na hora em que a população casasse o candidato com esse trabalho, ele cresceria", afirma Marcos Pestana, integrante da direção do PSDB em Minas e que "tirou férias" do cargo de secretário de Estado da Saúde para integrar a coordenação da candidatura de Lacerda, apesar dos tucanos não participarem formalmente da coligação em torno do candidato.

"O Márcio Lacerda não era uma pessoa conhecida entre o eleitorado, mas a campanha na rua, debate em TV e 600 candidatos a vereadores, que são militantes importantes, estão divulgando este trabalho. É um processo crescente de identificação", completou o tucano. (Por Marcelo Portela)