ANÁLISE-Fenômeno da reeleição trabalha contra Marta em SP

segunda-feira, 13 de outubro de 2008 13:29 BRT
 

Por Carmen Munari

SÃO PAULO, 13 de outubro (Reuters) - A candidata do PT à prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, enfrenta nesta eleição o fenômeno da reeleição. Um obstáculo poderoso que vem reforçando a candidatura de seu adversário, o prefeito Gilberto Kassab (DEM), e que colaborou para a reeleição ainda no primeiro turno de 12 de 20 prefeitos das capitais. Os outros 8 continuam na disputa.

De lanterninha a líder da corrida municipal, Kassab encarnou a continuidade de uma maneira muito particular. Desconhecido do paulistano no início da campanha, sua gestão passou ao mais alto nível de aprovação na capital, com 61 por cento de avaliação positiva. Em maio, antes da campanha eleitoral, este índice não passava de 38 por cento.

Como já foi prefeita, entre 2001 e 2004, Marta busca comparar sua gestão com a atual e centra atraques também à trajetória política de Kassab como forma de atrair votos de descontentes.

"Esta eleição foi situacionista, a reeleição prevaleceu", disse à Reuters o cientista político Fabio Wanderley Reis, professor emérito da Universidade Federal de Minas Gerais.

Apesar de administrar a prefeitura desde 2006, quando herdou o posto do então prefeito e hoje governador José Serra (PSDB), Kassab se popularizou com a campanha, que apresentou de forma competente as realizações da prefeitura em seu período. A estratégia estancou no primeiro turno o namoro do eleitor com o candidato Geraldo Alckmin (PSDB), que aglutina o mesmo perfil de eleitor, e tem força para levá-lo à vitória neste segundo turno.

MÁQUINA E ECONOMIA

O tempo de TV na primeira etapa (8 minutos e 44 segundos em cada aparição) colaborou para tornar o prefeito mais conhecido do eleitor, levando Kassab ao primeiro posto da eleição, com 33 por cento dos votos, ultrapassando Marta, que ficou com 32 por cento. Suas chances no segundo turno, atraindo a maior parte dos votos dos candidatos derrotados na primeira etapa, superam as da rival. Na primeira pesquisa divulgada, o prefeito abriu 17 pontos de vantagem sobre a petista.   Continuação...