Decisões da Rodada de Doha ficarão para 2008, confirma Lamy

quarta-feira, 21 de novembro de 2007 19:55 BRST
 

GENEBRA (Reuters) - O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, Pascal Lamy, confirmou nesta quarta-feira que as negociações da Rodada de Doha de comércio global não terão grandes avanços neste ano.

Diplomatas vinham dizendo nos últimos dias que os coordenadores das negociações agrícola e industrial só divulgariam os textos revisados da negociação em 2008.

"Ao invés de produzir propostas cozidas pela metade (...), os membros preferem um cozimento bom, longo e às vezes lento que nos levará ao ano que vem -- tanto para a produção dos documentos do acordo quanto para sua adoção", disse Lamy em entrevista coletiva.

"É demorado, mas algumas civilizações sabem que um cozimento ótimo às vezes pode ser lentíssimo", afirmou o francês.

O principal empecilho à conclusão da Rodada de Doha é a resistência dos países desenvolvidos em abrir mão de subsídios e tarifas agrícolas, enquanto países em desenvolvimento relutam em abrir seus setores industriais.

Em meados deste ano, ainda havia esperança de um acordo até dezembro, o que agora já parece impossível, mas diplomatas dizem que pelo menos os assuntos estão sendo discutidos.

Lamy disse à Reuters que os ministros de participantes importantes devem manter discussões informais sobre a Rodada de Doha no final de janeiro no Fórum Econômico Mundial de Davos, um encontro anual de políticos, empresários e acadêmicos.

"Pode-se dizer que é um bate-papo ao pé da lareira. Não é nada como uma (reunião) ministerial ou uma negociação", afirmou.

Em anos anteriores, ministros envolvidos na Rodada de Doha já se encontraram informalmente na cidade suíça.

Diplomatas dizem que os textos-base da negociação só devem ser divulgados depois de Davos.

(Por Jonathan Lynn)