Fazenda recomenda veto a projeto que aumenta licença-maternidade

terça-feira, 19 de agosto de 2008 20:49 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, recomendou ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva que vete o projeto de lei que aumenta o período de licença-maternidade. Segundo o ministro, se sancionada, a proposta reduzirá a arrecadação do governo em 800 milhões de reais. O presidente, porém, ainda não decidiu se seguirá o conselho do auxiliar.

O assunto foi discutido durante a reunião do conselho político do governo, realizada nesta terça-feira, no Palácio do Planalto. Segundo um participante do encontro, o presidente cobrou maior articulação entre base aliada no Congresso e o Executivo.

Lula ressaltou que a bancada governista deveria evitar a aprovação de projetos que depois precisariam de ser vetados. O presidente queixou-se da ampliação da licença-maternidade de 120 para 180 dias e disse que o Ministério da Fazenda era contrário à idéia.

Aprovada pela Câmara no último dia 13, a proposta oferece incentivos fiscais para as empresas que adotarem a medida.

Outro projeto de lei criou embaraços para o governo recentemente. O Congresso aprovou proposta que garantia a inviolabilidade dos escritórios de advocacia. Diante da pressão de juízes, policiais e promotores, o Executivo vetou partes da proposta.

O presidente Lula também anunciou que promoverá no próximo dia 28 uma reunião com empresários, acadêmicos, parlamentares e executivos de estatais para dar publicidade às realizações de seu governo e aos anúncios de investimentos feitos por grandes empresas. O objetivo do presidente é tentar mostrar que a economia do país vai bem e promover o sentimento de otimismo entre o empresariado. (Reportagem de Fernando Exman)