Mantega apela por CPMF em ofensiva do governo junto ao Senado

quinta-feira, 11 de outubro de 2007 13:46 BRT
 

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, reuniu-se com o presidente da Comissão de Constituição e Justiça, senador Marco Maciel (DEM-PE), nesta quinta-feira, e insistiu na importância da prorrogação da CPMF para o controle das contas públicas.

A visita de Mantega ao Senado é parte de uma ofensiva do governo para reduzir arestas e possibilitar a aprovação na Casa, ainda este ano, da extensão do tributo até 2011.

Reiterando argumentos usados na véspera, Mantega afirmou que o governo será obrigado a elevar outros tributos e a cortar repasses de verbas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para os Estados caso haja atrasos na renovação da CPMF, que vence no final deste ano.

Ele frisou que, dada as turbulências nos mercados internacionais, é especialmente importante que o país demonstre responsabilidade fiscal.

Apesar do tom enfático, Mantega negou estar ameaçando os parlamentares.

"Sou homem do entendimento, estou aqui para dialogar", afirmou Mantega a jornalistas, em entrevista conjunta com Maciel. O ministro acrescentou que o governo está disposto a fechar um acordo em torno do assunto comprometendo-se, por exemplo, a reduzir a tributação incidente sobre a folha de pagamento das empresas.

A redução da alíquota da CPMF, contudo, está fora de cogitação, segundo o ministro, porque implicaria a volta do projeto à Câmara.

Maciel destacou que seu partido é contra a CPMF e diz considerar "difícil" o fechamento de um acordo com o governo para a renovação do tributo.   Continuação...