10 de Fevereiro de 2008 / às 20:00 / 10 anos atrás

Bush diz que McCain deve conquistar voto dos conservadores

Por Jeremy Pelofsky

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse no domingo a membros conservadores de seu Partido Republicano que o pré-candidato à Casa Branca senador John McCain precisa trabalhar para conquistá-los, mas que ele é um “verdadeiro conservador”.

Bush soltou ainda farpas na direção do pré-candidato democrata Barack Obama, questionando sua política externa ao apontar o apoio do senador a conversas diretas com o presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad e a um possível ataque ao Paquistão.

Bush havia anteriormente ficado de fora da disputa das primárias para as eleições presidenciais e tentou evitar chamar McCain, senador por Arizona, de virtual candidato do partido, apesar de sua folgada liderança entre os delegados e de o seu rival mais próximo, o ex-governador de Arkansas Mike Huckabee.

“Se John for o escolhido, ele tem que trabalhar para convencer as pessoas de que ele é um real conservador e eu ficarei feliz em ajudá-lo se ele for o escolhido”, disse Bush em uma entrevista à rede Fox News neste domingo.

Ele também alertou os republicanos de que o partido não encontrará um candidato perfeito. Alguns conservadores republicanos, como James Dobson, fundador do grupo de advogados conservadores Foco na Família, disse que não apoiaria McCain por seu suporte à campanhas para financiar pesquisa com células-tronco.

“Ele é um conservador. Olha, ele é muito forte na defesa nacional, ele é rígido na questão fiscal, ele acredita que os cortes de impostos devem ser permanentes, ele é pró-vida”, disse Bush. “Seus princípios são consoantes e sólidos, até onde eu sei.”

Bush criticou os candidatos democratas, colocando foco diretamente em Obama, senador por Illinois que vem obtendo recentes vitórias na briga Estado-a-Estado contra a rival Hillary Clinton pela nomeação de seu partido.

“Eu certamente não sei em que ele acredita”, disse Bush. “A única coisa relacionada à política externa que eu me lembro de ele ter dito foi que atacaria o Paquistão e abraçaria Ahmadinejad.”

Jen Psaki, porta-voz da campanha de Obama, disse que “é irônico que o presidente que nos levou à pior estupidez na política externa na história recente se ache qualificado para fazer julgamentos sobre as credenciais de Barack Obama”.

Obama, que busca tornar-se o primeiro presidente negro dos EUA, tornou-se alvo de críticas por dizer que se encontraria com o presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad caso Teerã encerrasse as operações no Iraque e cooperasse nas questões nucleares.

Os Estados Unidos tem acusado o Irã de tentar desenvolver armas nucleares sob o pretexto de um programa civil de energia nuclear, acusação que o país islâmico tem negado.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below