Lula quer acelerar investimentos brasileiros na América do Sul

quarta-feira, 10 de outubro de 2007 20:58 BRT
 

Por Guido Nejamkis

BRASÍLIA, 10 de outubro (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva comanda uma reunião na quinta-feira com seus ministros e embaixadores na América do Sul para tratar de formas de acelerar os investimentos e empréstimos brasileiros em países vizinhos.

"O presidente pediu que revíssemos os acordos firmados durante seu mandato e que não puderam ser realizados", disse na quarta-feira a jornalistas o chanceler Celso Amorim.

Cerca de 12 ministros participam da reunião. Além de Amorim, estarão presentes também Dilma Roussef (Casa Civil), Guido Mantega (Fazenda), Nelson Jobim (Defesa), Nelson Hubner (Minas e Energia) e Reinhold Stephanes (Agricultura), além dos presidentes da Petrobras, do BNDES e da binacional Itaipu.

Lula declarou a integração sul-americana como prioridade do seu governo, mas vários projetos anunciados, como obras de infra-estrutura e empréstimos, ainda não foram concretizados, em grande parte devido a entraves burocráticos.

"Queremos ver onde há dificuldades de financiamento. Trata-se de ver onde estamos em dívida em relação a eles [os vizinhos] e nós mesmos. São problemas que em princípio têm resposta", disse Amorim.

Entre os projetos parados, Amorim citou as contribuições financeiras ao Fundo de Convergência Estrutural do Mercosul (FOCEM), que serve para promover projetos produtivos no Uruguai e no Paraguai, os sócios menores do bloco.

Também a construção de uma segunda ponte fronteiriça com o Paraguai, projetos de integração viária com Equador e Peru e a rubrica de um acordo de serviços com o Chile continuam pendentes.

Amorim disse que também serão discutidos assuntos como a atuação da Petrobras na região, onde a estatal enfrenta numerosos conflitos e problemas burocráticos nas fronteiras.

A iniciativa de Lula responde ao seu "desejo de que as coisas aconteçam", disse Amorim.