Rússia começará a retirar tropas da Geórgia na segunda-feira

domingo, 17 de agosto de 2008 16:42 BRT
 

Por Margarita Antidze e Matt Robinson

TBILISI/GORI (Reuters) - A Rússia anunciou que iniciará a retirada de suas forças da Geórgia na segunda-feira, após uma guerra curta que desferiu um golpe humilhante no país banhado pelo Mar Negro e suscitou temores sobre o abastecimento energético da Europa.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, disse no domingo que o presidente russo, Dmitri Medvedev, lhe falou ao telefone que as forças russas começarão a deixar a Geórgia por volta do meio-dia da segunda-feira.

Sarkozy, representando a União Européia, disse que, se a retirada não acontecer conforme o previsto no acordo de cessar-fogo, haverá "consequências graves" em termos das relações da Rússia com a União Européia.

O Kremlin confirmou o anúncio de Sarkozy, feito em Paris um dia depois de a Geórgia e a Rússia terem selado um acordo de cessar-fogo.

"A Rússia iniciará amanhã (segunda-feira) a retirada do contingente militar deslocado para reforçar as forças de paz russas após a agressão georgiana contra a Ossétia do Sul", disse o Kremlin em comunicado.

Meses de tensão entre a Geórgia e a Rússia, a quem a Geórgia era subordinada na antiga União Soviética, explodiram em 7 de agosto, quando Tbilisi lançou uma investida militar para retomar o controle da região separatista da Ossétia do Sul, cuja autonomia é apoiada pela Rússia.

Moscou disse que 1.600 civis, em sua maioria cidadãos russos, foram mortos no bombardeio georgiano.

O presidente georgiano Mikhail Saakashvili, cuja malograda invasão da Ossétia do Sul, região separatista pró-Rússia, incitou uma reação russa que chocou o ocidente, clamou pelo monitoramento internacional da retirada.   Continuação...