Hillary descarta abrir mão de candidatura nos EUA

domingo, 30 de março de 2008 14:42 BRT
 

Por Matthew Bigg

JOHNSTOWN, Estados Unidos (Reuters) - Desafiando a crescente pressão por parte de alguns líderes partidários para desistir, a pré-candidata democrata à Presidência dos EUA Hillary Clinton disse ao Washington Post que disputará as primárias restantes até que os contestados resultados na Flórida e em Michigan estejam solucionados.

"Eu sei que há algumas pessoas que querer acabar com isso, e eu acho que elas estão erradas", disse Hillary em uma entrevista ao jornal.

"Eu não tenho intenção de parar até que nós terminemos o que começamos, e até que nós vejamos o que acontecerá nas próximas dez disputas, e até que nós resolvamos (as questões relativas a) Flórida e Michigan. E se nós não resolvermos isso, nós o faremos na convenção", afirmou.

Democratas nesses dois Estados quebraram as regras do partido e realizaram primárias em janeiro, mas os resultados foram invalidados. Hillary venceu ambas as primárias, mas seu rival, o senador por Illinois Barack Obama, não constava da cédula em Michigan.

Clinton está atrás de Obama na corrida para conseguir o apoio de 2.024 delegados democratas e, assim, garantir a candidatura. Mas ela diz que ainda pode bater o senador e que todos os democratas devem ter a chance de votar. Ela tentou e não conseguiu remarcar a eleição ou validar os votos em Michigan e na Flórida.

"Nós não podemos ir em frente até que se cuide de Flórida e Michigan, caso contrário o eventual nomeado não terá a legitimidade que eu penso que nos perseguirá", disse a senadora por Nova York e ex-primeira-dama ao Post.

Alguns líderes democratas querem que a disputa entre Hillary e Obama seja resolvida o mais rápido possível para que o candidato presidencial democrata possa concentrar suas forças em derrotar o virtual nomeado republicano, o senador do Arizona John McCain, nas eleições gerais de novembro.

Em campanha na Pensilvânia no domingo, Obama disse que Hillary pode permanecer na corrida por quanto tempo desejar. Ele também se disse confiante na união dos democratas em torno do vencedor, apesar da amarga disputa.   Continuação...

 
<p>Hillary Clinton em campanha em Indiana, 28 de mar&ccedil;o. Photo by Frank Polich</p>