Grã-Bretanha reivindicará território marítimo na Antártida

quarta-feira, 17 de outubro de 2007 12:21 BRST
 

Por Kate Kelland

LONDRES, 17 de outubro (Reuters) - A Grã-Bretanha pretende requerir à ONU a ampliação de seu território na Antártida em 1 milhão de quilômetros quadrados, disse na quarta-feira o gabinete das Relações Exteriores.

A reivindicação faz parte de um conjunto de cinco requisições territoriais que o país pretende fazer antes do encerramento do prazo de maio de 2009, e cobre uma vasta área do fundo do mar em torno da Antártida britânica, perto do pólo sul, disse uma porta-voz.

"Estamos entre os vários países costeiros que estão entregando reivindicações", disse ela à Reuters.

As outras quatro reivindicações serão para o território no fundo do Atlântico em torno da Geórgia do Sul e das ilhas Malvinas (chamadas pelos britânicos de Falkland), e também em torno da ilha da Ascensão, no Atlântico Sul, perto da baía de Biscay, no Atlântico Norte, e na bacia de Hatton-Rockall, próximo ao litoral da Escócia.

A reivindicação territorial na Antártida pode deflagrar disputas com países como Argentina e Chile, que também devem requerer territórios ali. Também entra em conflito com o espírito do Tratado Antártico, de 1959, do qual a Grã-Bretanha é signatária, que impede a exploração de petróleo e minérios, exceto para a pesquisa científica.

Segundo a representante do gabinete das Relações Exteriores, por causa do tratado, a reivindicação britânica no momento é "teórica". "É altamente improvável que o Tratado Antártico seja abolido", disse ela. "Mas, para salvaguardar nossos interesse no futuro, estamos submetendo a reivindicação."

O dia 13 de maio de 2009 é o prazo final para os países fazerem reivindicações territoriais, no que especialistas descrevem como a última subdivisão do território marítimo da história.

Cerca de 7 milhões de quilômetros quadrados de mar -- uma área do tamanho da Austrália -- serão divididos pelos países do mundo. O Brasil já fez sua reivindicação, além de Rússia, Austrália e França. As águas podem ser ricas em vida marinha, e o território subterrâneo, em reservas minerais.

A representante britânica disse que o país entregou uma reivindicação conjunta com França, Espanha e Irlanda pela ampliação dos direitos territoriais na baía de Biscay, e que espera poder concluir requisições conjuntas para outras regiões.