12 de Junho de 2008 / às 16:33 / 9 anos atrás

Cabral nega candidatura em 2010 e diz que Dilma é nome forte

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho, afirmou nessa quinta-feira que não pretende ser candidato à presidência em 2010, apesar de algumas especulações.

O nome de Cabral tem sido apontado como um dos potenciais candidatos que poderiam contar com o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Uma coisa é certa: eu não sou candidato. Sou candidato a continuar no Rio, cuidando da loja, que tem muita coisa para fazer”, disse Cabral a jornalistas em evento no Museu de Arte Moderna

O governador se reuniu na quarta-feira com o presidente Lula, em Brasília, e, segundo assessores seus, a questão eleitoral foi um dos temas do encontro.

Recentemente, Cabral anunciou o fim da aliança do PMDB, no Rio, com o PT .

O partido do governador decidiu lançar candidato próprio à Prefeitura da cidade. O nome será escolhido em convenção regional, no dia 22 de junho.

O PMDB já tem como pré-candidatos o ex-deputado federal Eduardo Paes e o deputado federal Marcelo Itagiba

Cabral afirmou que a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, é candidata forte e natural à sucessão presidencial.

“Ela é um dos melhores quadros e está apta a qualquer desafio”, disse. “O presidente Lula concorda. Ela é a chefe da Casa Civil e comanda ações estratégicas. O presidente a acha um nome forte”, acrescentou Cabral, que considera cedo para se discutir sucessão presidencial em plena corrida municipal.

“Certamente, esse é um processo que começa lentamente em 2009.”

RIO 2016

Cabral afirmou que o governo federal vai dar um reforço de caixa para ajudar a cidade do Rio de Janeiro na campanha à sede dos Jogos Olímpicos de 2016

Segundo Cabral, Lula vai liberar, por meio de medida provisória, 80 milhões de reais para o fortalecimento da campanha do Rio. A cidade foi habilitada para a segunda fase da disputa com Chicago, Tóquio e Madri

O anúncio do investimento do governo será feito no dia 23 de junho, dia mundial dos esportes olímpicos.

“Esse orçamento é menor que os de Chicago, Madri e Tóquio, mas é importante para que o Comitê Olímpico Brasileiro possa contratar os consultores internacionais, preparar o dossiê com qualidade”, disse Cabral

Em 2 de outubro de 2009, na Dinamarca, o Comitê Olímpico Internacional anunciará a cidade que vai sediar os Jogos de 2016. (Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below