8 de Agosto de 2008 / às 15:24 / 9 anos atrás

SAIBA MAIS-Em torno de que gira o conflito na Ossétia do Sul

8 de (Reuters) - Intensos combates eram travados, na sexta-feira, dentro e nas cercanias da capital da Ossétia do Sul, uma região separatista da Geórgia, enquanto os soldados georgianos tentavam retomar o controle sobre o território.

Leia mais sobre a região:

GEOGRAFIA

-- A Ossétia do Sul é um território de mais ou menos 4 mil quilômetros quadrados localizado cerca de 100 quilômetros ao norte da capital da Geórgia, Tbilisi, na encosta sul das montanhas do Cáucaso.

SEPARATISMO:

-- O colapso da União Soviética alimentou o nascimento de um movimento separatista na Ossétia do Sul, que sempre se sentiu mais próxima da Rússia que da Geórgia. A região livrou-se do controle georgiano durante uma guerra travada em 1991 e 1992 e na qual milhares de pessoas morreram. A Ossétia do Sul mantém uma relação estreita com a vizinha russa Ossétia do Norte, que fica do lado norte do Cáucaso.

-- A maior parte de seus quase 70 mil habitantes são etnicamente distintos dos georgianos e falam sua própria língua, parecida com o persa. Essas pessoas afirmam ter sido absorvidas à força pela Geórgia, durante o regime soviético, e agora desejam exercer seu direito à autodeterminação.

-- O líder separatista é Eduard Kokoity. Em novembro de 2006, vilarejos da Ossétia do Sul que continuam sob o controle da Geórgia, elegeram um líder rival, o ex-separatista Dmitry Sanakoyev. Sanakoyev conta com o apoio do governo georgiano, mas sua influência estende-se por somente uma pequena parte da região.

APOIO RUSSO:

-- Cerca de dois terços do Orçamento anual da região, de cerca de 30 milhões de dólares, vêem do governo russo. Quase todos os moradores dali exibem passaportes russos, e usam o rublo russo como moeda.

-- A estatal russa Gazprom, uma gigante do ramo do gás, está construindo novos gasodutos e novas instalações para abastecer a região desde a Rússia. As obras foram avaliadas em 15 bilhões de rublos (640 milhões de dólares).

CONFLITO

-- Uma força de paz com 1.500 membros da Rússia, da Geórgia e da Ossétia do Norte (500 de cada) monitoram uma trégua firmada na Ossétia do Sul. A Geórgia acusa os membros russos da força de paz de ficarem ao lado dos separatistas, algo que a Rússia nega. Nos últimos anos, choques esporádicos entre as forças separatistas e georgianas deixaram dezenas de mortos.

-- O presidente da Geórgia, Mikheil Saakashvili, propôs um acordo de paz segundo o qual a Ossétia do Sul receberia um “grande grau de autonomia” dentro de um Estado federal. Os líderes separatistas dizem querer independência total.

Reportagem de Margarita Antidze

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below