João Henrique e Pinheiro retomam disputa por Lula em Salvador

segunda-feira, 13 de outubro de 2008 18:05 BRT
 

SALVADOR, 13 de outubro (Reuters) - Os dois candidatos que disputam a prefeitura de Salvador retornaram nesta segunda-feira ao horário eleitoral gratuito reivindicando a preferência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O prefeito João Henrique (PMDB) e Walter Pinheiro (PT) integram partidos da base aliada do governo federal e disputam o apoio de Lula desde o primeiro turno. Fontes do PMDB pediram que o presidente declarasse que os dois candidatos são de sua base de apoio, e disseram que ele teria concordado. Lula pretende ficar fora do segundo turno em Salvador.

A propaganda de João Henrique, a primeira a ir ao ar, afirmou que Salvador tem dois candidatos que são alinhados aos governos estadual e federal. "Mas João não precisa ficar se apoiando na imagem do presidente Lula", ressaltou a narração.

Neste primeiro programa, o PMDB não utilizou imagens do presidente da República, mas recorreu à estratégia de mostrar uma foto de João e Lula exibida no primeiro turno, só que agora a imagem do presidente aparece recortada.

Em off, uma voz explica: "O PT de Salvador entrou na Justiça para censurar a imagem de Lula com João, mas mesmo assim vamos mostrar pra vocês as obras de Lula com João". Em seguida, são exibidas algumas obras feitas pela prefeitura depois que João Henrique trocou o PDT pelo PMDB.

A propaganda de João Henrique ainda apresentou o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima (PMDB), seu maior cabo eleitoral, garantindo a boa relação com o governo federal.

"Como ministro baiano, estou pronto para ajudar para que os recursos federais não se percam na burocracia nem em discussões intermináveis. Pense bem na hora de decidir entre uma aventura ou continuar com o que está dando certo", disse Geddel.

A campanha do PT exibiu diversas imagens de Walter Pinheiro com Lula, todas já mostradas no primeiro turno. Em uma delas, o presidente cumprimenta o candidato e diz: "Boa sorte, companheiro."

Também foi exibido uma daquelas gravaçõe chamadas de "genéricas", nas quais o presidente aparece pedindo voto sem declinar o nome do candidato.   Continuação...