Candidato, Alckmin afirma que o tempo da divergência acabou

domingo, 22 de junho de 2008 16:56 BRT
 

Por Carmen Munari

SÃO PAULO (Reuters) - Com a presença do governador paulista José Serra e sem o apoio da bancada de vereadores tucanos, o ex-governador Geraldo Alckmin foi oficializado candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo em convenção do partido neste domingo. Na véspera, Serra atuou para a retirada da chapa que propunha o apoio do partido à candidatura do prefeito Gilberto Kassab (DEM).

Com o resultado, Alckmin e Kassab vão se enfrentar nas urnas e devem levar para as ruas a disputa interna tucana. A candidatura de Kassab foi ratificada em convenção do DEM no dia 14.

"É muito natural que, em um partido grande como o PSDB, haja posições divergentes. Mas o tempo da divergência chegou ao fim, acabou. Agora é trabalhar por São Paulo", disse Alckmin a jornalistas pouco antes do início da convenção realizada na Assembléia Legislativa.

Alckmin também afirmou que vai atuar na eleição dos vereadores que encabeçaram a chapa kassabista. "Todos contarão comigo. Vou trabalhar por eles", disse.

Onze dos doze vereadores tucanos lideraram a chapa que previa o apoio do PSDB ao prefeito Kassab e, após a retirada a proposta, decidiram não comparecer à convenção.

Alckmin procurou afastar desavenças com Serra. "Eu sempre apoiei o Serra, não tenho nenhuma divergência política com o Serra. Ele tem papel decisivo na campanha, na vitória".

Em seu discurso, Serra, que fez Alckmin aguardar para iniciar a cerimônia da convenção, tentou separar o racha do PSDB municipal da corrida pela eleição presidencial de 2010.

"Há um mito criado nos últimos meses com relação a 2010. Na verdade não é 2010 que está em jogo nesta eleição. O que está em jogo é a cidade de São Paulo", afirmou Serra, que tem trabalhado dentro do PSDB a indicação para ser o candidato da sigla na sucessão presidencial. Seu empenho pela candidatura Kassab se reverteria em uma garantia de apoio do Democratas para seus anseios.   Continuação...