Dólares da publicidade inundam a Web, mas bastarão a todos?

segunda-feira, 15 de outubro de 2007 09:52 BRST
 

Por Paul Thomasch

NOVA YORK (Reuters) - Anunciantes investirão um recorde de 31 bilhões de dólares este ano para divulgar toda espécie de produtos e serviços na Internet, o que servirá para sustentar incontáveis sites de notícias, redes sociais, vídeo e blogs.

Mas alguns veteranos da mídia estão preocupados com a possibilidade de que as expectativas quanto à publicidade online possam estar escapando ao controle.

Eles dizem que proporção cada vez maior da mídia vem dependendo da publicidade como única fonte de receita. E a presença de novos concorrentes, como produtoras de software e operadoras de cabo, tentando disputar as mesmas verbas, pode significar que simplesmente não exista recursos para todos.

"Estou chegando ao ponto de sentir que todas as respostas, em todas as propostas de desenvolvimento, envolvem 'vamos ser bancados por publicidade"', disse Beth Comstock, presidente de mídia integrada na NBC Universal, que este ano estabeleceu um fundo para investir em empresas digitais e de mídia.

"Isso simplesmente não vai ser possível", declarou ela em uma conferência publicitária recente. "Não vai haver verba publicitária suficiente no mercado. Não importa o quanto você seja inteligente, não importa qual seja o formato."

As redes de televisão, canais de cabo e sites da NBC Universal disputam verbas publicitárias contra todo tipo de rivais, de blogs especializados a grandes empresas de mídia concorrentes como a Time Warner e a Walt Disney. Além disso, empresas que crescem rapidamente na Internet, como o Google, vêm conquistando fatias cada vez maiores da publicidade.

E há novos rivais chegando ao mercado. A Comcast, a maior operadora de cabos do mercado norte-americano, espera obter pelo menos 1 bilhão de dólares em publicidade online pelos próximos cinco ou seis anos.

A Verizon Communications estão estudando oportunidades de publicidade em vídeo e telefonia sem fio, enquanto grupos iniciantes como o site de redes sociais Facebook são vistos como a nova fronteira do marketing online.   Continuação...