ATUALIZA-Governo avalia proposta orçamentária só em novembro

terça-feira, 7 de outubro de 2008 18:53 BRT
 

(Acrescenta declarações do ministro do Planejamento)

BRASÍLIA, 7 de outubro (Reuters) - O governo avaliará no final de novembro a necessidade de modificar os parâmetros econômicos que balisaram a proposta orçamentária para 2009, afirmou nesta terça-feira o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo.

"Acho que é muito prematuro tomarmos qualquer rumo agora... no final de novembro vamos saber melhor os parâmetros, inclusive o valor do salário mínimo", disse Bernardo em audiência pública no Congresso.

A proposta enviada ao Congresso, antes do aprofundamento da crise financeira global, leva em conta um câmbio médio de 1,71 real e um crescimento de 4,5 por cento do Produto Interno Bruto para o ano que vem.

Apesar da recente disparada do dólar, Bernardo disse que se o governo fosse rever o Orçamento hoje, pouca mudaria no texto enviado ao Congresso. Ele acrescentou que o crescimento de 4,5 por cento para o próximo ano é "factível".

Se o dólar mantivesse a trajetória de valorização verificada nas últimas semanas, a tendência seria de aumento da inflação no país, afirmou o ministro, mas ele disse não acreditar que isso ocorra.

"O aumento súbito do dólar dificilmente vai se sustentar", afirmou Paulo Bernardo, acrescentando que a moeda norte-americana deve se estabilizar em patamar maior que o verificado antes do agravamento da crise financeira global em setembro.

Apenas nesta terça-feira, o dólar subiu 5 por cento frente ao real, a 2,311 reais --maior patamar de fechamento desde maio de 2006.

Paulo Bernardo defendeu, ainda, a aprovação do projeto de lei encaminhado pelo governo ao Congresso propondo a criação de um fundo soberano, argumentando que a iniciativa tornou-se ainda mais relevante diante do aprofundamento da crise internacional.

(Reportagem de Isabel Versiani; Edição de Alexandre Caverni)