Táxi solar custa o dobro de uma Ferrari e tenta ganhar o mundo

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007 10:33 BRST
 

Por Alister Doyle

NUSA DUA, Indonésia (Reuters) - O táxi de Louis Palmer custa praticamente o dobro de uma Ferrari e chega apenas a 90 quilômetros por hora, mas pode entrar para a história por ser o primeiro carro a dar a volta ao mundo com energia solar.

Palmer, um professor suíço de 35 anos que saiu de Lucerna em julho, parou em Bali para difundir o projeto entre os 10 mil participantes da reunião climática da ONU, que vai até o dia 14.

"É a primeira vez na história que um carro está dando a volta ao mundo sem usar uma única gota de petróleo -- este carro está andando inteiramente com energia solar", disse ele à Reuters junto ao triciclo azul e branco, que puxa um reboque com seis metros quadrados de painéis solares.

O suíço já percorreu 14,4 mil quilômetros em 17 países, como Romênia, Turquia, Síria e Índia. Isso significa que ele já andou um terço do trajeto, que deva passar também pela Austrália, parte da América Latina, Estados Unidos, norte da África e de volta à Europa, dentro de aproximadamente um ano.

A distância coberta em terra será mais do que uma volta sobre a linha do Equador. Em alguns trechos, porém, Palmer depende de balsas movidas a petróleo, como foi o caso no deslocamento da Índia à Indonésia. Além disso, ele tem um veículo de apoio movido a gasolina.

Sobre o veículo há a inscrição "táxi", e Palmer quer colocar passageiros gratuitamente no outro assento disponível.

"Peguei um carona bêbado na Hungria, mas também tive o príncipe Hassan, da Jordânia, dentro do carro", contou.

Em Bali, ele já está "contratado" para apanhar o diretor do Programa Ambiental da ONU, Achim Steiner, no aeroporto.   Continuação...