Peru quer Congressos da A. Latina unidos por reféns da Colômbia

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008 19:01 BRST
 

LIMA (Reuters) - O Congresso peruano propôs na sexta-feira que os Parlamentos de toda a América Latina se mobilizem para conseguir a libertação imediata de mais de mil reféns da guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

Oito peruanos foram sequestrados nos últimos oito anos pelas Farc. Um deles morreu em cativeiro, seis foram libertados e um foi resgatado, segundo relatório do governo colombiano ao Congresso do Peru.

Citando esse relatório, o presidente do Congresso, Luis Gonzales Posada, disse que as Farc e o Exército de Libertação Nacional, outra guerrilha colombiana, sequestraram 12.168 pessoas entre 1996 e 1997.

"O Congresso do Peru propõe a todos os Congressos do continente uma iniciativa de solidariedade e mobilização para obter a liberdade imediata e sem condicionamentos de nenhuma natureza de todas as pessoas que se encontrem sequestradas", afirmou Gonzales Posada em entrevista coletiva.

Todos os parlamentares peruanos assinaram um documento intitulado "Solidariedade com a Colômbia", no qual condenam os que empregam "a violência e o terrorismo" para tentar impor uma ideologia.

Peru e Colômbia mantêm uma estreita relação devido a sua política de abertura comercial com os Estados Unidos, contrariando o governo da Venezuela, que recentemente pediu sem sucesso ao mundo que deixasse de considerar as Farc como terroristas.

Gonzales Posada pediu também à Organização dos Estados Americanos (OEA) que convoque uma reunião especial sobre o problema.

Até 2007, as Farc e o ELN mantinham sequestradas 1.184 pessoas, e de 1996 a 2007 houve 492 reféns mortos em cativeiro, segundo dados oficiais.

"Na atualidade, continuam retidos na selva da Colômbia, em condições vexatórias e penosas, muitos deles acorrentados pelos pés e mãos, sem ver seus familiares há muitíssimos anos", disse o parlamentar peruano.   Continuação...