Investigação de roubo de dados da PETROBRAS foca porto do Rio

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008 18:58 BRT
 

Por Maurício Savarese

MACAÉ, 21 de fevereiro (Reuters) - As investigações sobre o roubo de equipamentos com dados sigilosos da Petrobras (PETR4.SA: Cotações) devem se concentrar no período em que eles permaneceram no porto do Rio de Janeiro, armazenados no espaço da empresa Poliportos, disseram nesta quinta-feira fontes da Polícia Federal próximas às investigações do caso.

A polícia não descarta a hipótese de que o roubo tenha acontecido entre o porto de Santos e a entrega, no Rio, do carregamento para o caminhão que o trouxe até a cidade de Macaé.

Anteriormente, as investigações focavam o trajeto entre o Rio e Macaé, percorrido por terra.

"As indicações apontam para uma investigação no porto do Rio", disse uma das fontes, sob condição de anonimato.

Funcionários da Poliportos já estão sendo ouvidos pela PF.

As fontes afirmaram ainda que as apurações se concentram no porto porque a segurança do local seria frágil.

As investigações apontam que o roubo de quatro laptops, dois discos-rígidos, dois pentes de memória, um computador clone (com disco rígido com as mesmas informações a de outro equipamento), uma impressora e um gravador de DVD ocorreu em dois lugares distintos, já que os laptops e a impressora estariam em um contêiner e o restante, em uma caixa.

De acordo com as fontes, o fato de a carga ter chegado a Macaé, no norte fluminense, em dois carregamentos, um no dia 25 de janeiro e outro no dia 30, também levou a PF a voltar suas atenções ao porto carioca.   Continuação...