Aécio: Lula deixará "herança perversa" de descontrole de gastos

quarta-feira, 13 de agosto de 2008 17:44 BRT
 

BELO HORIZONTE (Reuters) - Candidato potencial à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), partiu para o ataque e acusou na quarta-feira o atual governo de descontrole de gastos, o que, em sua opinião, será uma "herança perversa" para o próximo presidente.

Aécio buscou inverter o mote utilizado pelo governo Lula de que precisou lidar com uma "herança maldita" na economia deixada pelos oito anos de governo tucano do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

O governador afirmou que o governo de Lula "despreza" as boas práticas de gestão e que o descontrole de gastos com a estrutura do Estado será um problema para quem assumir a presidência após as eleições de 2010.

"Lamentavelmente, um dos problemas maiores que vejo no plano federal é um absoluto desprezo à boa prática da gestão pública", disse Aécio, em entrevista após assinatura de convênio do governo mineiro com o Banco Mundial (Bird) para empréstimo de 976 milhões de dólares.

"O governo tem mérito, o presidente Lula tem? Eu os reconheço permanentemente, mas essa minha franqueza me obriga a dizer que uma das mais perversas heranças que deverão ser assumidas pelo próximo governante é esse aumento descontrolado dos gastos públicos", acrescentou Aécio. .

Apesar de constantes elogios mútuos, principalmente após o apoio de Lula a uma aliança do PT com o PSDB nas eleições municipais em Belo Horizonte, Aécio não poupou o governo federal de críticas.

O governador respondia a uma pergunta sobre a polêmica em torno da transformação da Secretaria da Pesca em ministério, mas não estendeu as críticas aos gastos e ao aumento da estrutura administrativa do governo.

"O governo gasta demais e gasta mal. Muitos deles (gastos públicos) são incomprimíveis no futuro, sem que isso se transforme efetivamente em melhoria da qualidade do serviço público", afirmou.

O tucano afirmou que Minas e outros Estados devem dar exemplo de gestão para o governo federal.   Continuação...