Reuters busca explicação para prisão de cinegrafista no Iraque

quinta-feira, 31 de julho de 2008 09:07 BRT
 

Por Dean Yates

BAGDÁ (Reuters) - A Reuters pediu na quinta-feira que os militares norte-americanos libertem imediatamente um cinegrafista iraquiano detido quando trabalhava para a agência, ou então que apresentem provas que justifiquem sua prisão.

Ali Al Mashhadani, que também presta serviços à BBC e à Rádio Pública Nacional dos EUA, foi detido no sábado na Zona Verde (bairro dos prédios públicos em Bagdá), onde estava pleiteando um credenciamento junto aos militares dos EUA.

Não é a primeira vez que Mashhadani é preso, mas ele nunca foi acusado formalmente de nada. O cinegrafista vive em Ramadi, capital da antes turbulenta província de Anbar, a oeste de Bagdá.

"Quaisquer acusações contra um jornalista deveriam ser divulgadas publicamente e tratadas de forma justa, com o jornalista tendo direito a amparo e a apresentar uma defesa", disse o editor-chefe da Reuters, David Schlesinger.

"Os jornalistas iraquianos como Mashhadani têm um papel vital em contar esta história ao mundo", acrescentou.

A BBC se disse preocupada com a notícia da prisão do profissional. "Pedimos aos militares dos EUA que revelem com urgência as razões pelas quais ele está sendo detido e quais as acusações que ele enfrenta, se é que existem", disse um porta-voz da emissora britânica de rádio e TV.

Um porta-voz militar dos EUA disse que Mashhadani está preso no quartel-penitenciária de Cropper, perto do aeroporto de Bagdá.

"Ele está sendo detido porque foi avaliado como sendo uma ameaça à segurança do Iraque e das forças da coalizão", disse o porta-voz, sem entrar em detalhes.   Continuação...