Eleição regional antecede referendo na Bolívia

domingo, 29 de junho de 2008 18:24 BRT
 

LA PAZ (Reuters) - A população do departamento de Chuquisaca elegeu no domingo o prefeito regional, em uma nova medição de forças entre o governo de esquerda do presidente Evo Morales e a oposição na Bolívia, a seis semanas de um crucial referendo revogatório de mandatos.

A eleição de Chuquisaca pode deixar nas mãos da oposição as prefeituras de sete dos nove departamentos, mas este quadro pode mudar drasticamente se, como antecipam várias pesquisas, o processo revogatório provocar a queda da maioria dos governadores regionais.

Morales, seu vice-presidente Alvaro García e os prefeitos devem se submeter em 10 de agosto a referendos simultâneos que vão revogar ou ratificar seus mandatos, um processo que seria uma solução para um grande conflito interno, mas que a maioria dos prefeitos resiste em acatar.

"Defendemos as conquistas do povo com o voto", proclamou García em um ato no sábado em La Paz, ao assinalar que está em jogo um nova "fundação" da Bolívia com um selo indígena e socialista, prometida por Morales, um aliado do presidente venezuelano Hugo Chávez.

O distrito de Chuquisaca, em especial a capital Sucre, vive há mais de um ano em conflitos, incluindo confrontos sangrentos e a renúncia do prefeito.

Pesquisas de jornais e cadeias de televisão antecipam uma vitória apertada da candidata da oposição Sabina Cuéllar, apoiada pelo movimento de autonomia liderado pelo departamento de Santa Cruz, sobre o candidato Walter Valda, ex-ministro do governo Morales.

Os dois candidatos prometeram trabalhar pela reconciliação da população.

"Fazemos um esforço imenso para preservar a democracia e a constitucionalidade eleitoral do país", disse em Sucre o presidente da Justiça Eleitoral, José Luis Exeni, ao abrir a votação, segundo as cadeias de rádio.

(Por Carlos Alberto Quiroga)