Oi lança TV pelo celular em outubro e pela Internet em 2008

quarta-feira, 3 de outubro de 2007 14:57 BRT
 

Por Alberto Alerigi Jr.

FLORIANÓPOLIS (Reuters) - A operadora de telefonia Oi, antiga Telemar, prepara para este mês a oferta de canais de conteúdo televisivo que poderão ser assistidos pelo celular e lança no primeiro trimestre de 2008 um serviço de TV sob demanda pela Internet (IPTV).

O serviço de TV pela Internet começa a ser testado em pequena escala em dezembro no Rio de Janeiro e é baseado em modelo de compartilhamento de receitas com os produtores de conteúdo. Inicialmente, cerca de 200 títulos entre filmes, seriados, documentários e curtas estarão disponíveis, disse o diretor de novos negócios da Oi, José Luis Volpini, após debate na feira de telecomunicações Futurecom.

"Esse é um negócio novo para nós. Temos que ter relacionamento com os estúdios, fornecedores (...) Queremos num primeiro momento testar a usabilidade", disse o executivo sobre os testes.

A Oi tem meta de alcançar cerca de 10 mil clientes do serviço de TV pela Internet "nos primeiros meses" do lançamento comercial, disse Volpini. A companhia tinha até junho cerca de 1,3 milhão de clientes de banda larga.

Segundo Volpini, os testes serão feitos em alguns bairros da capital carioca, como Leblon e Ipanema, onde a companhia oferece velocidades de até 8 megabits por segundo.

Já o braço móvel do grupo vai oferecer 10 canais de TV nas telas de celulares compatíveis com a tecnologia EDGE, disse Volpini, acrescentando que as operações online da Oi terão reforço em novembro de um portal multimídia que oferecerá música, vídeos e videogames para download.

"A IPTV representa a entrada de uma indústria (telecomunicações) dentro de outra indústria ( entretenimento) e isso é puxado pelo comportamento do 'snack consumer"', afirmou o executivo, referindo-se a um público formado por jovens que preferem assistir a vídeos em sites como o YouTube a ficarem sentados diante da televisão.

Os movimentos da Oi no mercado televisivo acontecem no mesmo momento em que o grupo aguarda uma resposta da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) sobre a compra da operadora de TV a cabo mineira Way TV e em que outras concessionárias de telefonia, como Telefônica e Brasil Telecom, avançam com ofertas de televisão por assinatura e vídeo sob demanda.

"É muito bom que elas estejam fazendo isso porque estimulam a discussão na Anatel", disse Volpini, acrescentando que "a gente gostaria de resolver (a compra da Way TV) este ano".